Polícia libera três detidos durante confronto na USP

Cerca de 500 alunos iniciaram assembleia em avenida fechada por barricada

Elida Oliveira, Especial para O Estado de S. Paulo

09 Junho 2009 | 20h20

A polícia liberou as três pessoas detidas durante o confronto entre PMs e estudantes na USP. O ex-diretor do sindicato dos trabalhadores da USP Claudionor Brandão, o estudante da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas José Ailton Dutra Junior, e Celso Luciano Almeida da Silva, técnico do Instituto de Estudos Brasileiros (IEB) tiveram de assinar um termo circunstanciado e vão responder criminalmente por danos ao patrimônio público, desacato à autoridade e resistência à prisão.   Cerca de 500 estudantes reuniram-se em assembleia às 20 horas para discutir o rumo da greve na USP. Eles se reuniram na Avenida Professor Luciano Gualberto, fechada por uma barricada de pedaços de concreto e madeira depois do confronto de alunos e policiais militares ocorrido por volta das 17 horas.   Cinco docentes saíram às 20h20 de uma assembleia de professores realizada no auditório do prédio da Geografia e seguiram para a reitoria para tentar conversar com o vice-reitor, Franco Lajolo. O tenente-coronel Claudio Miguel Marcos Lombo, comandante dos PMs que atiraram bombas de gás lacrimogêneo para dispersar estudantes à tarde, disse aos professores que eles poderiam ser intermediários na negociação para chegar a um acordo com os alunos.    

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.