Polícia e manifestantes se enfrentam em mais um dia de protestos no Chile

A capital do Chile, Santiago, viveu nesta quinta-feira, 11, mais um dia confrontos entre manifestantes e policiais em frente ao prédio principal da Universidade Tecnológica Metropolitana. O tráfego na área foi interrompido por um grupo de homens encapuzados. Na tentativa de desbloquear as avenidas, os policiais entraram em choque com os encapuzados.

Agência Brasil

11 de agosto de 2011 | 14h03

Em meio aos embates entre policiais e mascarados, os manifestantes que estavam acampados em frente à universidade lançaram pedras e objetos cortantes contra as forças policiais. Os policiais reagiram com jatos de água.

Para a professora de educação física Dalva Silva, a participação dos encapuzados  nos atos de hoje “desvirtua” a série de protestos que vêm ocorrendo no Chile. Incomodada com a ação do grupo, Dalva se colocou entre os encapuzados e os policiais. “Nós temos de defender a educação e a melhoria do sistema”, gritou ela, em meio aos enfrentamentos.

Nos últimos dias, Santiago e várias cidades chilenas enfrentam protestos comandados por estudantes e professores. Porém, outras categorias aderiram às ações. Os manifestantes reivindicam mudanças no sistema educacional do país, ampliando os investimentos e garantindo a gratuidade no ensino superior.

O governo do presidente Sebastián Piñera promete rever o plano de reforma para a educação que foi anunciado na semana passada. Os estudantes e professores exigem, no entanto, mais mudanças. Os organizadores dos protestos marcaram paralisações para os dias 7, 24 e 25 de agosto.

*Com informações da agência pública de notícias da Argentina, Telam, e a emissora estatal de televisão do Chile, TVN.//Edição: Graça Adjuto

Tudo o que sabemos sobre:
Chile, protestos, estudantes

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.