Reprodução
Reprodução

Polícia desocupa escola e alunos dormem na praça em Lins

Diretor chegou ao colégio com a PM às 4h30 da madrugada; alunos, que moram na zona rural, resolveram passar a noite na rua, próximo à escola

José Maria Tomazela, O Estado de S. Paulo

24 Novembro 2016 | 16h43

SOROCABA - Depois de ocuparem uma escola estadual em Lins, no interior de São Paulo, e serem retirados durante a madrugada desta quinta-feira, 24, pela Polícia Militar, cerca de 20 estudantes dormiram em uma praça, na região central da cidade. Os alunos protestavam contra o projeto de reforma do ensino, do governo federal, e um remanejamento da Diretoria Regional de Ensino que iria transferir parte dos estudantes para outra escola.

A Escola Estadual 21 de Abril foi ocupada à noite pelos estudantes, mas às 4h30 o diretor da escola chegou com a Polícia Militar. O grupo, que já dormia no pátio, foi despertado e obrigado a sair do estabelecimento. Como a maioria morava na zona rural e não havia condução, eles estenderam colchonetes e se deitaram na praça, próxima da escola. De manhã, o grupo de alunos voltou à escola e as aulas foram interrompidas.

De acordo com a Secretaria da Educação do Estado, um representante da Diretoria Regional de Ensino reuniu-se com os alunos e explicou que o remanejamento para outra escola, mais próxima do local de residência deles, foi determinada pela promotoria local do Ministério Público Estadual. 

Conforme o MP, os alunos são obrigados a um deslocamento maior para ir à escola do centro, com aumento de custos e riscos, enquanto a outra escola está ociosa. Os estudantes suspenderam a ocupação e vão decidir em assembleia se haverá nova mobilização.

 

Mais conteúdo sobre:
São Paulo Polícia Militar

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.