Pobres serão beneficiados pelo ensino de 9 anos, diz Lula

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva disse, ao sancionar a lei que amplia o ensino fundamental de oito para nove anos, que a medida deve beneficiar principalmente os estudantes de baixa renda.A matrícula obrigatória passa a ser a partir dos seis anos de idade. A ampliação deverá ser implantada até 2010, segundo a lei, pelos municípios, Estados e o Distrito Federal. Também dentro deste prazo será feita a adaptação ao novo modelo das pré-escolas, que passarão a atender crianças de quatro e cinco anos de idade.O presidente também sancionou a lei que trata da concessão de bolsas de estudo e pesquisa a professores da educação básica que participam de cursos de formação. As bolsas serão mensais e estão divididas em quatro valores, de acordo com o programa de formação, variando de R$ 100 a R$ 1,2 mil. Lula destacou, entre as iniciativas adotadas nos últimos três anos, a aprovação do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb), pela Câmara, e a proposta de reforma universitária.A valorização do ensino técnico também foi citada. "O Estado voltou a assumir a paternidade pelo ensino técnico do País, ou seja, nós não precisamos saber se uma prefeitura ou se o Estado vai ter dinheiro para gerenciar uma escola técnica, porque é de nossa responsabilidade e nós não fugiremos à nossa responsabilidade", disse ele, segundo a Agência Brasil.

Agencia Estado,

06 de fevereiro de 2006 | 16h02

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.