PM cerca prédio da USP, enquanto grevistas se reúnem com reitoria na Bela Vista

Se não houver acordo, funcionários prometem fazer piquete e invadir o prédio do CCE nesta tarde

Carlos Lordelo e Paulo Saldaña, do Estadão.edu

30 Junho 2010 | 11h00

Fotos: Helvio Romero/AE

 

Oito viaturas da Força Tática da Polícia Militar, três da Guarda Universitária e uma base operacional móvel fazem a segurança do prédio do Centro de Computação Eletrônica (CCE) e da Coordenadoria de Tecnologia da Informação (CTI) da Universidade de São Paulo (USP) na manhã desta quarta-feira, 30. Ao redor do prédio, foram colocados cavaletes e faixas zebradas para impedir a passagem dos funcionários em greve e outros manifestantes.

O comando de greve da USP, porém, não ficou na Cidade Universitária nesta manhã. Representantes do movimento se reúnem com a comissão de negociação da reitoria na sede do Conselho de Reitores da USP, Unesp e Unicamp (Cruesp), na Rua Itapeva, Bela Vista. Por volta das 8 horas, uma viatura da PM passou em frente ao local para verificar a situação.

Se não houver acordo com os membros da reitoria, os grevistas - paralisados há dois meses por uma reivindicação de isonomia salarial com os professores - prometem fazer piquete e invadir o prédio do CCE nesta tarde.

Situação na USP

Em frente à reitoria, há neste momento cerca de 300 pessoas, entre funcionários e alguns estudantes, que preparam a churrasqueira para o almoço. O carro de som usado durante greve toca samba e há faixas de funcionários do interior do Estado (unidades de Piracicaba, Pirassununga, Bauru, Rio Claro e Ribeirão Preto), na tentativa de fortalecer o movimento.  

 

Mais conteúdo sobre:
USPgreve

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.