PM age com violência contra protesto de alunos da Fatec-SP

Era para ser apenas o primeiro dia de aula na Faculdade de Tecnologia (Fatec) da capital, após mais de dois meses de greve dos professores. Mas o que se viu na manhã e à noite, nesta segunda-feira, foram policiais militares disparando balas de borracha, bombas de gás lacrimogêneo e de efeito moral em alunos que participavam de manifestações por melhores condições de ensino e de infra-estrutura da instituição.Pelo menos 19 estudantes ficaram feridos. Um deles, identificado como Sílvio Clareti de Lima, teria sido atingido na cabeça, com gravidade, no protesto da noite. Ninguém soube informar, porém, para que hospital ele foi levado.Balas de borrachaO ato da manhã começou por volta das 10h00 e reuniu entre 300 e 400 estudantes na Avenida Tiradentes, região central. Aos poucos, a avenida teve todas as faixas tomadas.O trânsito ficou complicado na região. Às 11h40, quando só as pistas locais estavam ocupadas, 15 homens da Força Tática investiram contra os alunos, com escudos, cassetetes, bombas e espingardas de bala de borracha.Em meio a uma nuvem de fumaça, algumas explosões e gritaria, os estudantes correram para dentro da Fatec. Os policiais fizeram uma linha de contenção diante do portão para evitar que voltassem à avenida."Irredutíveis""Precisamos chegar a esse ponto porque eles estavam irredutíveis", disse o major José Américo Peixoto, que coordenou a operação."Eu nunca tinha passado por isso", disse o estudante, Cléber Oliveira Silva, de 20 anos, que levou um tiro de borracha no antebraço direito. Nova interdiçãoÀ noite, cerca de cem alunos iniciaram nova manifestação por volta das 19h55, no mesmo local da Tiradentes. "Eles interditaram a pista, houve congestionamento e a necessidade da ação do Batalhão de Choque para desobstruí-la", informou o major Peixoto. "Daqui para a frente, não será mais aturado nenhum tipo de manifestação dentro da pista."Dois estudantes foram levados para o 2.º DP (Bom Retiro). Por volta das 21h45, os alunos suspenderam o protesto e saíram da Fatec de mãos dadas, em direção à Estação Tiradentes do metrô, cantando o Hino Nacional.AssembléiasOs alunos têm marcadas três assembléias hoje, ao longo do dia. Entre as reivindicações está a de mais verbas para os laboratórios, alguns tão desatualizados que, segundo professores, formam alunos prontos para a década de 80 do século 20.

Agencia Estado,

10 de maio de 2004 | 21h33

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.