Plano Nacional de Educação: começa reunião para votar destaques do parecer

Integrantes devem votar destaques ao relatório do deputado Angelo Vanhoni

Agência Câmara,

26 Junho 2012 | 16h42

Começou há pouco a reunião da comissão especial que analisa o Plano Nacional de Educação, com metas do setor para os próximos dez anos. No encontro desta terça-feira, os integrantes devem votar destaques ao relatório do deputado Angelo Vanhoni (PT-PR), que destina 8% do Produto Interno Bruto (PIB) do País ao ensino até o final da vigência do plano. Alguns parlamentares e representantes de entidades da sociedade civil pedem pelo menos 10%.

Seis deputados acabaram de retirar a maioria de seus destaques ao texto-base do Plano Nacional de Educação (PNE - PL 8035/10). O objetivo do grupo é garantir a votação dos destaques à meta 20 do plano, que trata do percentual do Produto Interno Bruto (PIB) a ser investido no setor até o final da década.

Estes foram os deputados que retiraram parte de seus destaques que tratam das metas 1 a 19: Eduardo Barbosa (PSDB-MG); Rogério Marinho (PSDB-RN); Stepan Nercessian (PPS-RJ); Izalci (PR-DF); Professora Dorinha Seabra Rezende (DEM-TO); e Nelson Marchezan Junior (PSDB-RS).

Marchezan Junior, contudo, lamentou a retirada dos destaques: “É uma pena que os parlamentares abram mão de suas posições e de seus conceitos de educação em favor somente dos 10%. São vários temas importantes que deveriam ser discutidos e aprimorados. Estamos atropelando nós mesmos”. Segundo ele, a estratégia é necessária para garantir a votação dos 10%.

Já o deputado Paulo Rubem Santiago (PDT-PE) fez questão de manter seu destaque, que prevê a criação de um sistema nacional de gestão da educação. “Passamos por uma década do último PNE e vimos, com clareza, que uma das causas de seu descumprimento é a fraqueza dos sistemas de gestão” justificou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.