Amanda Perobelli/Estadão
Amanda Perobelli/Estadão

PF investiga denúncia de vazamento do tema da redação do Enem

Candidato teria recebido suposta imagem da prova de redação pelo celular horas antes do exame; autor da denúncia é do Piauí

O Estado de S. Paulo

13 Novembro 2014 | 14h07

Atualizada às 23h29

A Polícia Federal no Piauí abriu inquérito para apurar se houve vazamento da prova de redação do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). Um estudante da cidade de Picos, no sul do Estado, alega ter recebido a informação horas antes do exame. O Ministério Público Federal (MPF) no Piauí também abriu investigação do caso.

A denúncia à PF foi feita pelo estudante Jomásio Barros Santos Filho, de 17 anos, na quarta-feira. Segundo ele, a suposta imagem da prova de redação, que teve o tema “Publicidade infantil em questão no Brasil”, teria sido enviada a um grupo de WhatsApp às 10h47 do domingo. O exame começou a ser feito em todo o País às 13 horas.

Uma perícia será realizada no telefone celular do estudante. A polícia também informou que “todos os envolvidos no caso já estão sendo ouvidos”, sem dar mais detalhes sobre o caso.

Na tarde de domingo, após supostamente sair do local de prova, o autor da denúncia publicou em sua conta no Facebook: “E agora? Como um exame nacional pode ser totalmente seguro e confiável se o tema da proposta de redação já tinha chegado até mim?”. Ele ainda publicou um vídeo em que mostra o celular com o horário que teria recebido o arquivo. No vídeo, ele retira o aparelho de dentro do saco plástico distribuído pela organização da prova para guardar os objetos.

Santos disse ter ficado surpreso durante a prova, ao perceber que o tema da redação era o mesmo da mensagem. “Várias pessoas como eu receberam esta mídia com o tema da redação do Enem. E aí, como é que fica?” questionou o estudante no vídeo. Em sua página na rede social, também há críticas ao Enem e ao PT, feitas antes do fim de semana de realização do exame. 

Investigação. Em nota, o Instituto Nacional de Pesquisas Educacionais (Inep), órgão do Ministério da Educação responsável pelo Enem, afirmou que, “desde o início do exame, outras denúncias foram recebidas e, quando apuradas, todas se mostraram infundadas”. De acordo com o órgão, “o Inep trabalha em conjunto com a PF para dar, cada vez mais, rigor e segurança à aplicação do exame”.

A reportagem tentou entrar em contato com o autor das denúncias, mas ele não atendeu às ligações. À TV Clube, afiliada da Rede Globo no Piauí, ele disse que a mensagem teria sido recebida por mais de 40 pessoas no grupo do WhatsApp.

Os agentes da PF recolheram mais celulares de estudantes nos municípios de Picos, Campo Maior e Timon, no Maranhão, por suspeitas de fraude. 

Também à reportagem da afiliada da Globo, outros dois estudantes disseram que haviam visto a mensagem antes da prova. “Eu vi essa imagem às 10h54, no domingo, antes da prova. Então eu não tenho nenhuma dúvida de que essa prova vazou”, disse a estudante Larissa Campos Almeida, que teria visto o exame no celular do primo. 

Mais conteúdo sobre:
enem

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.