Reprodução
Reprodução

PF apura se escola teve acesso a questões do Enem após suborno

Funcionário do Colégio Christus, de Fortaleza, pode ter pago a fiscal de aplicação do pré-teste e copiado questões

Estadão.edu

26 Outubro 2011 | 19h12

Uma das linhas de investigação da Polícia Federal é que um funcionário do Colégio Christus, de Fortaleza, tenha subornado um fiscal que aplicou o pré-teste do Enem na escola e copiado o caderno de questões, em outubro do ano passado. Nove questões do Enem, realizado no fim de semana, foram usadas em um simulado feito por alunos do Christus dez dias antes.

 

A escola foi informada no ano passado de que havia sido sorteada para o pré-teste do Enem. O Inep selecionou os estudantes por amostragem. A aplicação das questões ficou sob responsabilidade do consórcio formado pela Fundação Cesgranrio e FUB/Centro de Seleção e de Promoção de Eventos (Cespe).

 

No pré-teste são distribuídos 16 cadernos contendo 24 questões cada. Nas fotos postadas por um aluno do Christus no Facebook, é possível ver que os simulados de Ciências da Natureza e matemática tinham 24 questões.

 

Depois da aplicação do pré-teste, os cadernos foram todos recolhidos, levados a Brasília, tabulados e incinerados. O autor das questões selecionadas e compradas pelo Inep deve garantir o sigilo dos itens.

 

A decisão do MEC de obrigar 639 alunos do Christus a fazer nova prova do Enem baseou-se na nota à imprensa divulgada pelo colégio cearense. No texto, a escola afirma que as questões estavam no seu banco de dados próprio.

 

Em outubro do ano passado, além do Ceará, o pré-teste de questões foi realizado em outros quatro Estados.

 

* Atualizada às 19h50

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.