Paulínia decide fechar faculdade gratuita

A Fundação de Pesquisa, Estudos Sociais e de Políticas Públicas (Fupespp), conhecida como Faculdade de Paulínia, será fechada. A decisão foi tomada pelo prefeito Edson Moura (PMDB), presidente do conselho deliberativo da fundação, criada em 2001. O motivo seriam problemas financeiros da prefeitura, pois a arrecadação proveniente do Imposto de Circulação de Mercadorias e Serviços caiu.Cerca de 250 alunos fazem os cursos gratuitos de Administração Pública e Comércio Exterior. Quarenta por cento deles moram na cidade e o restante vem de municípios vizinhos. São três turmas em tempo integral. Os cursos têm duração de quatro anos e a turma mais avançada está no terceiro ano. O decreto de liquidação deve ser publicado nos próximos dias. A fundação emprega cerca de 90 pessoas. Segundo a assessoria de imprensa de Moura, uma das alternativas para não haver prejuízo aos estudantes é a transferência. O conselho da fundação avalia a possibilidade de arcar com os custos de transporte e das mensalidades dos estudantes em faculdades privadas. O espaço ocupado pela fundação, segundo a assessoria, será transformado em creche. ImpasseA decisão de liquidar a fundação surgiu após um impasse entre os alunos e a superintendência da fundação, que em 5 de junho anunciou a intenção de reduzir de 5.700 para 3.200 o número de horas/aula dos cursos. A justificativa para o fechamento seria a queda da arrecadação do ICMS e padronização da nova carga horária, com a implantação de período noturno. Os estudantes discordaram e montaram acampamento na área verde da faculdade. Dois dias depois a fundação suspendeu as aulas até 1º de agosto, e um mandado de reintegração de posse obrigou os estudantes a deixar a área. Um grupo de alunos protocolou representação na Promotoria do Ministério Público questionando a legalidade dos atos da fundação. A Promotoria aguarda cópias dos documentos solicitados.

Agencia Estado,

28 de junho de 2006 | 19h58

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.