Passeata na Paulista poderá ser adiada por causa da chuva

Grevistas avaliam possibilidade de transferir manifestação para segunda-feira

Elida Oliveira, Especial para O Estado de S.Paulo

10 Junho 2009 | 12h09

A passeata de estudantes, funcionários e professores da USP prevista para o início da tarde poderá ser adiada por causa da chuva. Os manifestantes fariam uma concentração em frente à reitoria, mas até o momento há apenas policiais militares fazendo a guarda do prédio.   "Hoje o dia amanheceu chovendo, a passeata só poderá ser feita se houver bastante gente. Estamos estudando se seria melhor fazer hoje ou na segunda-feira", afirma Magno de Carvalho, diretor do Sindicato dos Funcionários da USP (Sintusp) e integrante do comando de greve.   Alguns estudantes que participaram da manifestação de ontem fizeram vigília no prédio da Faculdade de História e Geografia e no Crusp. Aparentemente não houve dano ao patrimônio em nenhum dos dois prédios.   Uma assembleia de professores iniciada às 10h30 no auditório da Geografia ainda não terminou. Durante a reunião, o professor do Departamento de Artes Plásticas Luiz Renato Martins propôs a saída da reitora Suely Vilela. "Nós, professores, nos deixamos atropelar pelos acontecimentos. E a rota que seguimos é grave porque a situação se agrava a cada momento. A resposta que temos que dar é pedir a demissão imediata da reitora."   Às 11 horas teve início um assembleia de funcionários e frente à cantina das faculdades de História e Geografia.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.