Particulares querem incluir financiamento estudantil na reforma

Universidades e faculdades particulares querem incluir o aumento do financiamento estudantil nas discussões sobre reforma universitária. Responsáveis por 75% das vagas do ensino superior do País, as instituições pretendem apresentar a proposta ao ministro Tarso Genro.No ano passado, o Financiamento Estudantil (Fies), do governo federal, atendeu 70 mil estudantes. "Não se pode ficar brincando. A demanda em 2003 era de, no mínimo, 200 mil. A reforma deve contemplar a questão do financiamento ou será uma grande frustração", diz um dos diretores da Associação Nacional das Universidades Privadas (Anup), José Valter Pereira.A taxa de inadimplência no ensino superior particular gira em torno de 30% a 35%, segundo as entidades. Com a ampliação do Fies, um número maior de estudantes manteria as mensalidades em dia. Atrairia também novos alunos."Entre 2002 e 2003, 3 milhões de alunos que fizeram o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) ficaram de fora do ensino superior, ou por não terem conteúdo suficiente ou por falta de dinheiro para os estudos", diz a presidente da Associação Nacional das Faculdades Isoladas (Anafiso), Naira Amaral.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.