Leonardo Prado
Leonardo Prado

Participantes do Parlamento Jovem querem conhecer prática política

Estudantes de todo o País participam de jornada parlamentar na Câmara

Agência Câmara de Notícias,

24 Setembro 2012 | 18h39

Começou nesta segunda-feira, 24, na Câmara, a 9.ª edição do programa Parlamento Jovem Brasileiro. No primeiro dia do evento, os participantes afirmaram que esperam conhecer a política praticada em Brasília. Durante cinco dias, 78 estudantes de todo o País, entre 16 e 22 anos, participam de jornada parlamentar na Câmara, atuando como deputados. Para ingressar no programa, eles apresentaram projetos de lei que foram escolhidos por uma comissão de assessores legislativos.

 

A estudante Nadine Eidelwein, do Rio Grande do Sul, acredita que a política é a maneira mais simples de melhorar a vida das pessoas. “Acredito numa política limpa, feita à luz do dia”, disse. “Eu quero voltar para a minha cidade e mostrar para as pessoas que dá para fazer política assim, que não é todo mundo corrupto, e que quem quer fazer, quem tem boas intenções, consegue”, destacou. Líder da juventude do partido ao qual é filiada, em Bom Retiro (RS), Nadine foi dirigente do grêmio estudantil de sua cidade e cogita a possibilidade de futuramente concorrer a um cargo público eletivo.

 

Para participar do Parlamento Jovem, ela apresentou proposta que cria o Projeto Trabalhador Leitor, que obriga as empresas com mais de 300 funcionários a colocar à disposição livros e revistas para uso comum.

 

A aluna Tatiane Alice Medeiros, da Paraíba, também pretende conhecer a política “limpa” praticada na Câmara. “O povo do interior diz que todo mundo é corrupto e que não existe uma política limpa, mas existe, sim”, afirmou. O projeto de lei apresentado por ela institui procedimentos para atestar os casos de anencefalia do feto. “A mãe fará três ultrassonografias para ter certeza do diagnóstico, antes de decidir se quer interromper a gravidez.”

 

O estudante Gilberto Barreto, da Bahia, espera que no Parlamento Jovem os participantes não trabalhem por aspirações pessoais, mas pelo interesse do Brasil. Ele apresentou projeto de lei que trata da instalação de painéis solares em escolas públicas. “Quero incentivar o jovem a ter consciência em relação ao meio ambiente”, ressaltou. “O Brasil não pode usar apenas energia elétrica.”

 

Gilberto, que pretende seguir a carreira política, trabalha para que sua proposta tramite na Assembleia Legislativa da Bahia. Além disso, ele pretende articular a realização do Parlamento Jovem na Assembleia Legislativa de seu Estado.

 

Ideias da juventude

 

O coordenador do programa no Estado do Pernambuco, Antônio Carlos da Silva Mendes, acredita no potencial da juventude para propor soluções para os problemas sociais brasileiros. “A importância do Parlamento Jovem é que faz com que a juventude possa refletir e, a partir dessa reflexão, possa modificar problemas e buscar soluções para intempéries sociais que encontram pela frente”, salientou.

 

A estudante baiana Taise de Assis Pereira apresentou Proposta de Emenda à Constituição para incluir a acessibilidade entre os direitos e garantias fundamentais do brasileiro. “Tive essa ideia porque minha avó era deficiente física, e eu tinha o interesse de fazer alguma coisa para melhorar o acesso dela a algumas coisas, como lazer e moradia”, contou. “Tenho esperança de que o projeto entre em tramitação. Espero que algum deputado pegue o projeto e o apresente.” Para tramitar efetivamente, as propostas devem ser encampadas por deputados, que apresentam os projetos como se fossem de sua autoria.

 

Programação

 

Na manhã desta segunda, os estudantes assistiram a palestras sobre o papel institucional da Câmara. À tarde, sobre o processo legislativo e sobre os mecanismos de participação do cidadão. Além disso, formaram chapas e registraram as candidaturas para a eleição da Mesa Diretora do Parlamento Jovem e para a eleição dos presidentes das comissões temáticas, que ocorrerão nesta terça, 25.

Mais conteúdo sobre:
Congresso Legislativo Parlamento Jovem

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.