TIAGO QUEIROZ/ESTAD?O
TIAGO QUEIROZ/ESTAD?O

Paraná ainda tem 122 colégios ocupados

Prédio da Universidade Federal do Paraná (UFPR) foi desocupado na manhã deste sábado

Julio Cesar Lima, Especial para o Estado

05 Novembro 2016 | 12h13

CURITIBA – O Paraná ainda está com 122 colégios ocupados por estudantes que protestam contra a PEC 241, que limita investimentos em diversos setores, incluindo a Educação, assim como, um cronograma de ensino integral no ensino médio. Por causa das ocupações subiu de 74 para 77 colégios no estado que não terão provas do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). 

A medida foi anunciada pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Anísio Teixeira (Inep), ligado ao Ministério da Educação (MEC), que adiou as provas nesses locais de sábado, 5, e domingo, 6, para os dias 3 e 4 de dezembro. 

Segundo a estudante Rillary Bernardes, 17, que faria a prova no Colégio Dr. Xavier da Silva, em Curitiba, os estudantes lutam “por algo muito bom”. “Acredito que as ocupações lutam por um propósito muito bom, a educação brasileira já é precária e a PEC 241 não ajudaria de modo algum nossa educação. Mas confesso que atrapalhou bastante meus estudos para o Enem. Meu cursinho vem me preparando a semana inteira para a prova com uma revisão excelente. Além disso, sinto que os que farão a prova amanhã estarão mais preparados e no ritmo do Enem do que eu, que vou prestar daqui a um mês”, afirmou.

Durante a noite de quinta-feira, 3, dezenas de estudantes também invadiram  o prédio histórico da Universidade Federal do Paraná (UFPR), na Praça Santos Andrade, área central de Curitiba. Segundo a Gazeta do Povo, o prédio foi desocupado na manhã deste sábado, 5, após negociação do reitor da universidade, Zaki Ackel Sobrinho, com os alunos, em que decidiu-se não punir os estudantes por atos praticados na invasão, adiar a discussão sobre jubilamento e que esse tipo de invasão seja entendido como ato de “luta democrática” e não como vandalismo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.