Para professores, prova de Ciências da Natureza foi a mais puxada da 2.ª fase da Unicamp

Tempo para a resolução foi principal obstáculo; primeira chamada será divulgada no dia 4 de fevereiro;

Estadão.edu,

15 Janeiro 2013 | 22h22

Nesta terça-feira, 15, 13.234 candidatos fizeram a prova de Ciências da Natureza da segunda fase da Unicamp. O exame, precedido pelas avaliações de língua portuguesa, literatura, matemática, inglês e Ciências Humanas, encerrou o processo seletivo da universidade. A chamada para a matrícula dos candidatos selecionados será divulgada no dia 4 de fevereiro.

Na opinião do coordenador-geral do Etapa, Edmilson Motta, a prova desta terça foi a mais exigente da segunda fase do vestibular da Unicamp. “A prova foi bem puxada, principalmente pela dificuldade que os alunos já têm em química e física”, diz. Segundo o coordenador, as questões de biologia foram mais simples, até mesmo por terem abordado tópicos de domínio do candidato.

O professor Constantino Cornelos, do cursinho Objetivo, discorda da afirmação de que a avaliação foi simples, mesmo tendo trazido temas conhecidos. “Com exceção de uma questão ou outra, nas quais o aluno poderia se valer do bom senso e de um raciocínio lógico, a prova exigiu do candidato conceitos e não decorebas”, diz. Cornelos cita como exemplo a questão de número 18, que pedia o filo de um animal marinho que possuía em sua superfície corporal espinhos e estruturas tubulares. “Ou o aluno sabia que era um equinodermo ou não, não tinha como enrolar.” Cornelos elogiou o exame, principalmente pela abordagem de diferentes ramos da biologia, tais como filos, botânica e ecologia.

Célio Tasinafo, diretor pedagógico do cursinho Oficina do Estudante, acredita que os vestibulandos devem ter encontrado bastante dificuldade para a resolução das questões da prova que, a seu ver, não estava difícil. Tasinafo tem uma explicação para a contradição. “As questões, apesar de muito bem elaboradas, trouxe temas clássicos e até mesmo repetitivos”, afirma. “O aluno que não define uma estratégia antes do início da prova, provavelmente perderá muito tempo dizendo tudo o que sabe sobre o assunto e não se atendo apenas ao que solicita o enunciado”, diz.

Na opinião do diretor, mais uma vez, faltou tempo para a resolução completa da prova. “Mesmo os bons alunos devem ter sofrido com isso”, diz. Luís Ricardo Arruda, do Anglo, concorda. "Tempo é sempre um problema nas provas da Unicamp, mas vale lembra que o vestibular é uma competição e se sai melhor o aluno que conseguir resolver, bem, mais questões", diz. "Gabaritar uma prova como essa é quase impossível", comenta.

Tasinafo observa ainda que os enunciados das avaliações de física e química foram, na maioria das vezes, contextualizados. “Com isso, percebemos um esforço em tornar os conteúdos dessas disciplinas cada vez mais próximos da vida dos estudantes”, diz. O diretor do Oficina, no entanto, reclama que não houve interdisciplinariedade. “Tivemos três provas, uma de física, outra de biologia e outra de química, cada uma delas com questões bem definidas.”

Nas questões de química e física, o maior obstáculo para os alunos foi as contas “trabalhosas” que tiveram de fazer. Ao menos é o que afirmam os professores das duas disciplinas do Objetivo. Para o professor Ronaldo Fogo, de física, muitas das contas exigidas atrapalharam a vida do candidato por serem “chatas”, seja pela presença de números muito grandes ou então pela existência de algarismos decimais. “Em cálculos como esses, o vestibulando dificilmente tem a certeza de ter acertado o resultado logo de cara e prefere refazê-la para se garantir. Com isso, perde um tempo que poderia ser aproveitado para a resolução de outras questões”, diz.

Abstenção

A taxa de abstenção do último dia de provas da segunda fase da Unicamp foi de 13,8%. Dos 15.352 candidatos convocados, não compareceram aos exames desta terça. As abstenções dos dias anteriores foram de 12,2% e 13,4%, respectivamente.

Os vestibulandos concorrem a 3.444 vagas em 68 cursos da Unicamp e outros dois da Faculdade de Medicina de São José do Rio Preto (Famerp).

Os candidatos a vagas de cursos com provas de habilidades específicas (que serão realizadas entre os dias 21 e 24 de janeiro) deverão consultar as orientações para a realização dos exames, como locais e horários, no site www.comvest.unicamp.br. Os cursos que exigem provas de habilidades específicas são Arquitetura e Urbanismo, Artes Cênicas, Artes Visuais, Dança e Música.

Mais conteúdo sobre:
Unicamp vestibular

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.