Para professores e alunos, redação da Fuvest teve tema fácil

O tema trabalho da redação da Fuvest, vestibular da Universidade de São Paulo (USP) deste domingo foi considerado fácil por candidatos e professores, principalmente se comparado ao ano passado, quando foi pedido que escrevessem sobre a ?descatracalização da vida?."Não diria que foi um tema fácil e sim acessível?, disse a diretora da Fuvest e responsável pela área de português na entidade, Maria Thereza Fraga Rocco.A prova tinha três textos sobre o trabalho, que deveriam ser relacionados na dissertação. O primeiro falava que o trabalho é ?uma invenção histórica? e que poderia até desaparecer um dia. O segundo era sobre a contradição entre o desenvolvimento tecnológico e a crescente quantidade de trabalho. E o último vinha com uma foto da escultura David, de Michelangelo, afirmando que o artista demorou quatro anos para acabá-la.?O trabalho é algo muito próximo de quem está fazendo vestibular?, disse a professora de redação do Curso e Colégio Objetivo, Maria Aparecida Custódio. ?Acho que eles se arrependeram do que fizeram no ano passado?, afimou, ao deixar a sala de prova na Escola Politécnica, João Vergueiro, de 19 anos, vestibulando de Filosofia. Paulo Victor Graciliano, de 18 anos, que concorre a uma vaga em Administração de Empresas e fez o exame em Campinas também gostou do tema. ?É um assunto atual, não foi um tema filosófico que fugia do cotidiano.? Segundo Maria Thereza, não foi intenção da Fuvest este ano facilitar a redação pela polêmica enfrentada em 2005.Todos os candidatos deveriam fazer a prova deste domingo, que teve ainda questões dissertativas de português (veja as resoluções). A partir desta segunda-feira, os alunos fazem apenas exames das disciplinas relacionadas às áreas dos cursos escolhidos.

Agencia Estado,

08 de janeiro de 2006 | 22h45

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.