Para professores de cursinho, prova da OAB está madura

Fundação Getúlio Vargas é a resposável pela organização do exame há cinco edições

Estadão.edu,

26 Março 2012 | 11h31

Cerca de 36 mil candidatos fizeram a segunda fase do VI Exame de Ordem da OAB neste domingo, 25. E, de acordo com professores de cursos preparatórios para o exame, os alunos encontraram uma prova tranquila e madura.

 

Para Nestor Távora, coordenador dos cursos da rede LFG, a Fundação Getúlio Vargas (FGV) criou um padrão para o exame da OAB, o qual organiza há cinco edições. “A prova está madura, o que não significa que esteja fácil”, afirmou Távora. “O aluno encontrou assuntos que compõem a base da matéria.”

 

Segundo a professora do curso FMB, Márcia Genaque, a prova não foi simples, mas o nível de dificuldade estava dentro do esperado. Sobre as questões de direito penal, especialidade da professora, ela conta que pela terceira vez seguida a FGV cobrou uma peça de contestação, ao exigir do candidato a defesa de alguém que esteja sendo acusado. “Ao mesmo tempo que é uma peça que os alunos sabem bastante, muitos deles não acreditavam que poderia cair novamente na prova. Foi um elemento surpresa”, afirmou Márcia.

 

Nesta segunda fase do Exame de Ordem, os candidatos devem redigir uma peça jurídica e responder a quatro questões discursivas sobre a área do direito em que pretendem atuar. O padrão de respostas da prova será divulgado no dia 12 de abril. O resultado preliminar está previsto para sair em 17 de abril e a lista final de aprovados, em 3 de maio.

Mais conteúdo sobre:
oab exame fgv

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.