Para Mercadante, greve nacional dos docentes é precipitada

Ministro diz que negociações sobre plano de carreira estão em andamento e dentro do prazo

Cristiane Nascimento, especial para o Estadão.edu,

23 Maio 2012 | 17h26

O ministro da Educação, Aloizio Mercadante, chamou de "precipitada" a greve nacional deflagrada por professores da rede federal de ensino superior. Isso porque, segundo ele, o plano de carreira docente ainda está sendo negociado dentro do prazo combinado com as entidades representativas dos docentes no fim do ano passado.

 

"O atraso de um mês não trará prejuízo algum aos docentes, pois o acordo assinado prevê a sua aplicação somente em 2013", afirmou o ministro, referindo-se à demora na apresentação de uma proposta, inicialmente prevista para o fim de março. Em entrevista coletiva na tarde desta quarta-feira, 23, Mercadante argumentou que o atraso na elaboração do novo plano ocorreu por conta da morte recente do ex-secretário de Recursos Humanos do Ministério do Planejamento, Duvanier Paiva Ferreira, então responsável pela negociação salarial de todo o serviço público federal. Independente disso, o ministro afirmou que a questão é prioritária dentro do governo.

 

Mercadante também se manifestou sobre a suposta falta de infraestrutura nos câmpus criados pelo Programa de Apoio a Planos de Reestruturação e Expansão das Universidades Federais (Reuni). Segundo o ministro, das 3.427 obras previstas, 1.894 estão concluídas. As demais estão em execução e planejamento. Apenas 34 estão paralizadas e 83 foram canceladas. "Existem problemas, mas eles são pequenos e pontuais."

 

Paralisação

 

A greve nas universidades federais atinge 44 instituições, segundo informações do Sindicato dos Docentes das Instituições de Ensino Superior (Andes) - a rede federal conta com 59 universidades. A paralisação teve início no dia 17 de maio e, desde então, tem tido a adesão de várias universidades.

 

Os docentes pedem a reestruturação do plano de carreira e melhoria das condições de trabalho nos novos câmpus que foram criados nos últimos anos por meio do Reuni.

Mais conteúdo sobre:
MEC Greve Mercadante

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.