Para lembrar: Ensino médio é gargalo no País

Dificuldade para melhorar índices de desempenho educacional não é exclusividade de São Paulo: se repete em todo País

Paulo Saldaña, O Estado de S. Paulo

27 Março 2014 | 03h00

SÃO PAULO - A dificuldade para melhorar os índices de desempenho educacional no ensino médio não é exclusividade do Estado de São Paulo. O diagnóstico se repete em todo País e especialistas apontam problemas similares até mesmo em outros países.

O Censo da Educação Básica, divulgado mês passado pelo Ministério da Educação (MEC), mostrou que o País ainda não conseguiu avançar na barreira em que se transformou essa etapa. O levantamento mostrou queda no número de alunos matriculados no País, ao mesmo tempo em que há cerca 1,5 milhão de jovens que deveriam estar no ensino médio e estão fora da escola.

No último Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb), o ensino médio da rede pública do País ficou estagnado em 3,4 - a meta é chegar a 5,2 em 2021.

Currículo engessado, com 13 disciplinas obrigatórias, e pouca atratividade para o jovem são apontados como os principais problemas. O MEC tenta articular mudanças com as secretariais estaduais e lançou neste ano programa de bolsas de formação para os cerca de 500 mil professores dessa etapa.

Mais conteúdo sobre:
Ensino médio Idesp

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.