Para associação de docentes, situação já era conhecida

"Tentamos alertar sobre esses problemas. Não se justifica a surpresa da atual gestão com a situação da universidade", criticou presidente da Adusp

Bárbara Ferreira Santos e Victor Vieira , O Estado de S. Paulo

29 Abril 2014 | 03h00

SÃO PAULO - O presidente da Associação de Docentes da USP (Adusp), Ciro Correia, afirmou que o colapso financeiro da instituição durante a administração passada já era conhecido. "Tentamos alertar sobre esses problemas. Não se justifica a surpresa da atual gestão com a situação da universidade", criticou. A crise financeira da USP já é considerada a pior das últimas três décadas.

Correia ainda disse que a gestão do antigo reitor, João Grandino Rodas, foi marcada por baixa transparência e centralização nas decisões. Para o presidente da Adusp, a crise atual aponta para a necessidade de democratizar a gestão da USP. "Isso (esclarecer sobre as contas da USP) já é um passo, mas ainda pequeno", afirmou.

A especialista em autonomia universitária e professora da Faculdade de Direito da USP Nina Ranieri disse que as questões financeiras da instituição devem passar pela Comissão de Orçamento e Patrimônio e pelo Conselho Universitário. "Essas regras estão previstas no estatuto", explicou ela, que considera importantes as manifestações do reitor sobre o orçamento apertado.

Mais conteúdo sobre:
Adusp USP

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.