Pais querem professor mais motivado e competente, diz estudo

Garantia de vagas nas escolas, reforço escolar e transporte gratuito também foram destacados na pesquisa

Agência Brasil,

11 Novembro 2009 | 11h44

Manter os professores motivados e garantir que eles sejam competentes são os direitos mais importantes ligados à educação, destaca pesquisa divulgada nesta quarta-feira, 11, pelo Movimento Todos pela Educação. Intitulado A Participação dos Pais na Educação de seus Filhos, o estudo constatou que um em cada quatro entrevistados acredita que um professor bem capacitado é o fator mais importante para assegurar a boa educação das crianças e jovens do país.   Além da capacidade do professor, os entrevistados destacaram serem importantes para a educação a garantia de vagas nas creches e escolas (opinião de 22% do total de entrevistados nas regiões metropolitanas e de 19% no interior), o reforço escolar contínuo ao longo do ano para os alunos com dificuldades (12% nas regiões metropolitanas e 14% no interior) e a presença de transporte gratuito para os alunos quando as escolas forem distantes (8%, tanto no interior quanto nas regiões metropolitanas).   A pesquisa foi desenvolvida pelo Instituto Brasileiro de Opinião Pública e Estatística (Ibope) e feita por telefone com 1.350 pessoas de nove regiões metropolitanas brasileiras - Bahia, Ceará, Pernambuco, Distrito Federal, Paraná, Rio Grande do Sul, Minas Gerais, Rio de Janeiro e São Paulo - e de alguns municípios com mais de 50 mil habitantes.   Segundo o estudo, a responsabilidade pela melhoria do ensino no Brasil é atribuída principalmente ao Ministério da Educação (MEC). Na opinião de 39% dos entrevistados nas regiões metropolitanas e de 40% no interior, o MEC deve ser o protagonista das melhorias na educação do país, seguido pelas secretarias municipais de Educação, as diretorias das escolas e os pais dos alunos.   O estudo também revela que, nas regiões metropolitanas, 84% dos pais declararam exigir que os filhos não faltem às aulas e que as frequentem nos horários corretos, sem atrasos. No interior, esse porcentual é de 81%. Mais da metade dos pais também costuma perguntar aos filhos o que aprenderam na escola (62% nas regiões metropolitanas e 73% no interior) e diz acompanhar a lição de casa (65% nas regiões metropolitanas e 75% no interior). Mais de 70% dos entrevistados de ambas as regiões também disseram incentivar o hábito de leitura entre os filhos.   As dificuldades que os filhos encontram nas aulas são atribuídas em grande parte a eles próprios, que têm dificuldades para aprender o que os professores ensinam e desinteresse pelo estudo. De acordo com o estudo, os pais se culpam por não conhecerem as matérias e terem pouco tempo para ir à escola. As faltas frequentes de professores também foram apontadas pelos pais como fator preocupante em relação à educação dos filhos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.