Pais de alunos vão à Justiça contra conservadores

Pais de alunos entraram na Justiça contra autoridades de educação do condado de Cobb, na Geórgia, que decidiram incluir nos livros didáticos de biologia uma advertência contra a teoria da evolução, de Charles Darwin. Os pais consideraram a medida uma promoção ilegal da religião.Os livros escolares produzidos nos últimos dois anos vêm com uma "advertência" aos estudantes: "Esta obra fundamental na escola contém material sobre a evolução. A evolução é uma teoria, não um fato, sobre a origem dos seres vivos. Este material deve ser estudado com mente aberta, de maneira cuidadosa e crítica".As autoridades de Cobb tomam partido dos chamados criacionistas, para quem a Terra foi criada por Deus há 6 mil anos, e que as espécies aparecem no planeta por intervenção divina, tal como descreve o Gênesis, na Bíblia.O fato de questionar a teoria da evolução, e nenhuma outra - há inúmeras teorias na ciência - foi caracterizado pelos pais como ingerência religiosa nos programas de estudos das crianças, segundo a União de Liberdades Civis dos EUA.A questão está em julgamento num tribunal de Atlanta e alimenta a polêmica em vários Estados, onde conservadores chegam a pedir a proibição dos livros que abordam a teoria darwiniana - de que a Terra nasceu há 4,6 bilhões de anos e que aconteceu um processo gradual de desenvolvimento, com a evolução das espécies até a aparição do homem.Os conservadores começaram a se mobilizar tão logo George W. Bush foi eleito presidente pela primeira vez, em 2000.

Agencia Estado,

15 de novembro de 2004 | 19h02

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.