Otaviano Helene desmente que queira o fim do Provão

O presidente do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais (Inep), Otaviano Helene, desmentiu na segunda-feira declarações dadas ao Estado segundo as quais o instituto apoiará o projeto do deputado Ivan Valente (PT-SP) que extingue o Exame Nacional de Cursos, o Provão. "É muito provável que o Provão, nos moldes atuais, não vai mais existir", repetiu, entretanto.Segundo ele, o MEC encampará a proposta da comissão criada especificamente para estudar mudanças no sistema de avaliação do ensino superior. A comissão, integrada por 18 membros, tem até agosto para concluir o trabalho. Para o presidente do Inep, o Provão que chegou a ser considerada a mais importante avaliação do ensino superior mostrou muito mais pontos negativos do que positivos. "Este sistema é frágil." Otaviano Helene garante que a futura avaliação será "rigorosa, eficaz e rápida". Ele aposta que "a Avaliação das Condições de Ensino (ACE), diferentemente do Provão, seja capaz de evidenciar de forma mais efetiva a qualidade dos cursos de graduação". E revela que, no ano passado, 8 mil alunos se formaram em cursos que jamais foram visitados por técnicos que avaliam as condições de oferta, como o nível dos professores, laboratórios, bibliotecas e instalações. "É gravíssimo."Sem avaliação, sem diplomaO ministro Cristovam Buarque não renovou portaria que autorizava entregar diplomas aos alunos, mesmo sem que cursos passassem por avaliações de oferta. Depois que a comissão especial concluir estudos sobre o novo sistema de avaliação do ensino superior , o governo enviará proposta de projeto de lei ao Congresso. O governo quer que o foco não fique somente sobre os alunos, como ocorre com o Provão.Trata-se de uma reivindicação que, na semana passada, o ministro da Educação, Cristovam Buarque, recebeu do presidente da União Nacional dos Estudantes (UNE), Felipe Maia. Ele entregou um documento com nove sugestões, entre elas, a de que se avalie o impacto da universidade no desenvolvimento da cidade ou da região em que se localiza.

Agencia Estado,

09 de junho de 2003 | 19h28

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.