Obra amplia campus da USP Leste

Um novo edifício e um complexo esportivo, que somam juntos mais 11 mil metros quadrados de área construída, fazem parte da terceira fase de obras da USP Leste, que está a todo vapor na região de Ermelino Matarazzo, divisa de São Paulo com Guarulhos.Os novos prédios abrigarão laboratórios de pesquisa e salas para os professores. No ginásio de esportes, serão construídas quadras, salas de ginástica e, futuramente, uma piscina. A previsão é que tudo esteja pronto em outubro e em pleno funcionamento para o ano letivo do ano que vem.O projeto do campus previa a construção de um outro bloco com salas de aula. "Por ora não existe uma demanda efetiva do ponto de vista de recursos e necessidade. Mas, a área está reservada para a construção desse módulo", disse o arquiteto da Coordenadoria do Espaço Físico da USP, Rogério Bessa.O 5º prédio da USP Leste já está em construção. O esqueleto de 8 mil metros quadrados, que é visto no local, se transformará em um edifício com três pavimentos. Ali, vão funcionar 14 laboratórios de pesquisa e mais 150 salas de professores. "Os laboratórios servirão para os professores desenvolverem suas pesquisas, para os alunos fazerem iniciação científica e para os futuros alunos de pós-graduação", explicou o diretor da unidade, Dante de Rose Júnior.A construção do ginásio poliesportivo está em fase de terraplenagem do terreno. O centro esportivo terá 3,2 mil metros quadrados e terá duas quadras cobertas, salas de ginástica, duas quadras externas e um campo de futebol. "Também está prevista uma piscina coberta para atender o curso de Ciências da Atividade Física. Isso deve ficar para 2008", disse De Rose. "O ginásio também atenderá nosso público interno e projetos com a comunidade do Jardim Keralux", completou.As atividades oferecidas aos moradores da região acontecem nas quadras e no campo de futebol de salão que foram construídos no extinto heliponto."Ainda existem algumas pendências e possibilidades de continuidade do projeto", informou De Rose. Um grande prédio branco, já pronto, receberá a cozinha, que hoje é terceirizada. Outro bloco, que também está concluído, será o posto de enfermagem e ainda falta instalar os aparelhos de ar-condicionado.A USP Leste está dentro do Parque Ecológico do Tietê e árvores foram removidas para abrigar a universidade. Essa área verde será devolvida com a plantação de dois grandes bosques.A USP Leste atende 3.060 alunos em dez diferentes cursos. A construção custou R$ 54 milhões e começou em 2005. Os prédios da biblioteca, anfiteatros e salas de aula e professores foram entregues no ano passado. A primeira turma do novo campus se forma ano que vem.TransporteMais do que lidar com obras dentro da Universidade, a principal dificuldade dos alunos da USP Leste ainda é chegar ao campus. "Estamos posicionados num local complicado de acesso", explicou o diretor da unidade, Dante de Rose Junior. "Nós temos o acesso só pela Rodovia Ayrton Senna e pela Avenida Assis Ribeiro." Os estudantes reivindicam a estação USP Leste da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM) e mais linhas de ônibus para servir à região.Paradas desde o fim do ano passado, as obras de construção da estação estão sendo retomadas agora, segundo José Luiz Portella, secretário estadual de transportes metropolitanos. "Não há atraso, esse é o cronograma do governo Serra", afirmou. Previstas para o meio de 2007, o prazo para entrega das obras foi adiado para março de 2008.O motivo foi o contingenciamento de verbas anunciado pelo ex-governador Cláudio Lembo (PFL) em 2006, que deixou sem recursos o projeto de revitalização da linha F da CPTM, a mais defasada das seis oferecidas pela empresa.Na quarta-feira, 28, o governador José Serra (PSDB) entregou o primeiro de 15 trens que devem ser modernizados em 2007, e afirmou que quer "dar um salto em matéria de metrô, transformando as linhas de trem em metrô de superfície". As obras devem consumir R$ 1,2 bilhão até 2010.Enquanto a estação não fica pronta, a USP Leste transporta os estudantes da estação de trem Engenheiro Goulart ao campus. O transporte dos alunos é feito por quatro vans da USP Leste. Outros dois ônibus não fazem o trajeto por não caberem no túnel embaixo dos trilhos do trem é feito o retorno.Para os estudantes que chegam de ônibus, a linha disponível é a 2718/31 - "Jd. Keralux - Metrô Penha , de onde é preciso tomar a condução gratuita da USP. Com a chegada da USP Leste, em 2005, o número de passageiros aumentou, mas a frota de veículos não cresceu para dar conta da nova demanda.A SPTrans informou, em nota, que não está previsto novos serviços ou aumento na frota de oito microônibus na linha já existente. A empresa disse ainda que possui cinco linhas que trafegam pela Avenida Assis Ribeiro.Colaborou Ana Carolina Moreno

Agencia Estado,

29 de março de 2007 | 16h41

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.