Obama abre dados educacionais e convoca hackers

Governo americano pretende criar aplicativos para facilitar o acesso e o uso dos dados

Portal Porvir,

20 Julho 2012 | 15h33

O governo Obama está convocando educadores, desenvolvedores ou quaisquer pessoas interessadas em educação para criar aplicativos, produtos e serviços que sejam úteis à comunidade escolar a partir de dados oficiais abertos disponibilizados pelos Estados Unidos. O convite foi feito durante uma competição em Washington na semana passada, em que a Casa Branca apresentou para especialistas em tecnologia as possibilidades de utilização das informações do governo e fez com eles um brainstorm sobre novos aplicativos que podem facilitar o acesso e o uso dos dados educacionais abertos. As boas ideias serão reunidas até setembro, quando devem ser apresentadas no Datapalooza – evento que ainda terá os detalhes divulgados.

A iniciativa faz parte de uma série de medidas que o presidente Obama vem adotando no sentido de publicizar dados públicos. No seu primeiro dia de mandato, ele lançou o Data.gov, portal que disponibilizava 47 conjuntos de dados do governo. Até janeiro deste ano, esse número passou para 450 mil, com informações alimentadas por 172 agências federais. Foi também no nesta época que o governo lançou o Education.data.gov, um braço da iniciativa de abertura de dados, mas apenas relacionados ao mundo educacional.

Ao anunciar o programa, a Casa Branca afirmou que seu objetivo era “ajudar a desenvolver a criatividade e o espírito empreendedor dos educadores e inovadores do país e, ao mesmo tempo, empoderar estudantes e suas famílias dando-lhes as informações de que precisam para fazer as melhores escolhas”. A ideia do governo é que, com os dados abertos, não apenas os especialistas em tecnologia possa manejá-los e desenvolver produtos em prol da educação, mas que as famílias e os professores também se apropriem do mundo de possibilidades que as informações trazem.

Assim, no portal, é possível encontrar, por exemplo, planilhas com dados estatísticos e a localização de cada escola de ensino básico e de cada universidade. Como o site se propõe como um repositório de dados variados, ele também congrega pesquisas e estudos por temas, que incluem educação infantil, básica e superior, educação especial e familiar. Para facilitar o uso de tudo o que está disponível, o site oferece ferramentas de filtros, visualização e mapeamento. Em uma das seções do site, chamada sala de aula, os professores podem encontrar sugestões de atividades para serem desenvolvidas com alunos de todas as séries. Na opção “ensinando matemática”, é possível ter acesso a sugestões para se tratar álgebra, geometria e análise de dados para alunos do ensino básico.

Ainda com o intuito de promover o compartilhamento de dados, a Casa Branca lançou também o MyData Initiative, que incentiva escolas, desenvolvedores de softwares e outros atores que possam prestar informações a torná-las acessíveis para os alunos e suas famílias. Assim, o governo espera que os estudantes baixem os dados que lhe interessem e criem um aprendizado personalizado e alinhado com suas preferências.

Interessados em atender o chamado da Casa Branca e que desejem mais informações podem entrar em contato pelo e-mail EDTech@ed.gov.

 

Fonte: Portal Porvir

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.