O frio chegou, mas os uniformes de inverno só vêm em junho

Apesar da chegada repentina do frio, a licitação para compra de 915 mil uniformes de inverno para alunos da rede pública de ensino de São Paulo (calça e jaqueta de Tactel e camisetas), feita pela Secretaria Municipal de Educação (SME), permanece suspensa. A primeira previsão de entrega das roupas é final de junho.Em março, a concorrência foi alvo de denúncias de superfaturamento e favorecimento de empresas - segundo o proprietário de uma confecção, apenas duas empresas teriam conseguido comprar Tactel em quantidade suficiente para atender ao pedido - e está sendo investigada pela Promotoria de Justiça da Cidadania do Ministério Público Estadual (MPE) e pela Ouvidoria do Município. A secretaria de Educação alega que o processo ainda está "na fase de diligências" e que, em até 20 dias, a comissão que organiza a licitação deve receber a análise das planilhas de custo das propostas feitas pelas empresas concorrentes e das amostras de tecido. Caso não sejam encontrados problemas, a concorrência deve seguir até a conclusão. Mesmo depois disso, ainda será preciso realizar a distribuição dos uniformes na rede escolar. A SME não estipulou um prazo para a entrega de todo o material. Integrantes da Prefeitura afirmavam, a princípio, que os conjuntos deveriam ser recebidos pelos alunos no inverno (final de junho). As aulas devem ir até meados de julho, e ser retomadas no final do mesmo mês. A Ouvidoria do Município informou nesta quarta-feira que, assim que a licitação for definida, deve decidir se toma ou não providências.

Agencia Estado,

08 de maio de 2003 | 13h27

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.