Jonathan Torgovnik/Getty
Jonathan Torgovnik/Getty

O contra-ataque do Jornalismo

Após o fim do diploma obrigatório, pós da ESPM recorre a elite para formar líderes e aponta para novo modelo

Estadão.edu

30 Novembro 2010 | 01h36

Um ano e meio depois de o Supremo Tribunal Federal ter abolido a obrigatoriedade do diploma, o ensino de Jornalismo vai bem, obrigado. Na  Fuvest, o número de candidatos subiu este ano. O que há de novo no front, aliás, é a abertura de cursos. Um deles aponta para um novo modelo, de aperfeiçoar  a formação de profissionais em meio de carreira, inspirado nas pós-graduações de universidades americanas. É a pós em Jornalismo com Ênfase em Direção  Editorial, da Escola Superior de Propaganda e Marketing (ESPM), que começa em março.

 

“Talvez a gente tenha ficado muito tempo preocupado em debater se o ensino de Jornalismo deveria ser obrigatório e esqueceu de discutir se ele é bom”,  diz o coordenador da pós da ESPM, Eugênio Bucci, ex-presidente da Radiobrás, doutor pela ECA-USP. “Se você vai a um dentista, advogado, médico, vai valorizar se ele dá aulas, se tem pós. Com o jornalista é a mesma coisa.”

 

O curso é destinado a profissionais com dez anos, em média, de carreira. O objetivo é formá-los para exercer funções de comando em empresas de mídia, liderar equipes. “Não é um MBA, não queremos transformar o jornalista num administrador de negócios”, explica Bucci. “Queremos que ele tenha repertório suficiente para participar do comando das empresas, sendo jornalista.”

 

Veja também:

 

- Master em Jornalismo, o curso pioneiro

- A nova criação de Civita

- Formação de profissionais da imprensa nos EUA inclui cursos paralelos

 

Entre os professores estão profissionais de destaque como o presidente do Conselho de Administração do Grupo Abril, Roberto Civita; o diretor de Conteúdo do Grupo Estado, Ricardo Gandour; o ex-ombudsman da Folha de S. Paulo e editor da revista Política Externa, Carlos Eduardo  Lins da Silva; o consultor da Abril Thomaz Souto Corrêa; um dos fundadores do UOL, Caio Túlio Costa; e Alberto Dines, ex-diretor de publicações no Brasil e  em Portugal e criador do site Observatório da Imprensa.

 

Civita concebeu a pós e se dispôs a financiá-la por três anos. “Tive a ideia do curso há uns dois anos. Pensei nos jornalistas que conheci na Abril e no que faltava na formação deles.” Ele cita entre essas lacunas a pouca familiaridade com questões administrativas e gerenciais e falta de experiência em lidar com gente, liderar equipes.

 

Depois de esboçar um currículo, Civita visitou universidades dos Estados Unidos, como Columbia, em Nova York, Northwestern, em Chicago, e  da Califórnia, em Berkeley. Também conheceu um modelo mais recente, o curso da City University of New York.

 

“Lá você encontra profissionais do Jornalismo dando aulas”, diz o diretor-presidente da ESPM, José Roberto Whitaker, que acompanhou parte da viagem de Civita. “É uma grande diferença em relação ao ambiente acadêmico daqui.”

 

Responsável pela disciplina Indicadores de Qualidade Editorial no curso da ESPM, Lins da Silva concorda que os EUA são um bom modelo quando se pretende aperfeiçoar a gestão nas redações. “De um modo geral a cultura coletiva americana é mais racional, o americano é mais organizado, metódico que o brasileiro”, diz Lins da Silva, que fez mestrado nos EUA com bolsa da Fundação Fulbright. “Só por isso você já sente nas redações de lá, há muito tempo, uma preocupação maior com problemas gerenciais e administrativos.”

 

Para Souto Corrêa, cuja disciplina será Edição e Design, jornalistas não fazem ideia das competências exigidas de quem ascende nas organizações. “É um mundo muito diferente lidar com planejamento operacional, definição de objetivos, definição de missão, reuniões de controle.”

 

Dines ficará responsável pela disciplina História do Jornalismo. “Quero escolher tópicos que sirvam para contar algo do passado e tenham algum valor prospectivo. Falar sobre algumas transformações tecnológicas, para tentar explicar às pessoas assustadas com o futuro do jornalismo que já houve inovações no passado que pareciam catastróficas e acabaram sendo absorvidas.”

 

FRASES

 

"Queremos formar pessoas com repertório para participar do comando de empresas, sem deixar de ser  jornalistas"

Eugênio Bucci, diretor da nova pós-graduação em Jornalismo da ESPM

 

"O diferencial do Master é o fato de ter nascido e se desenvolvido ao longo de 15 anos em estreitíssima relação com o mercado"

Carlos Alberto Di Franco, diretor do Master em Jornalismo do IICS

 

"É um mundo muito diferente lidar com planejamento operacional, definição de objetivos e missão, reuniões de controle"

Thomaz Souto Corrêa, consultor do Grupo Abril

 

"É importante mostrar às pessoas assustadas com o futuro do jornalismo que já houve inovações tecnológicas no passado e elas foram absorvidas"

Alberto Dines, criador do site Observatório da Imprensa

 

SERVIÇO

 

Pós-graduação em Jornalismo Com Ênfase em Direção Editorial (ESPM)

 

Público-alvo: jornalistas em  meio de carreira – o ideal é ter por volta de 10 anos de experiência

Duração: março a novembro

Carga horária: uma semana por mês, de 2ª a 6ª-feiras, das 8 às 18 h

Seleção: análise de currículos e entrevistas

Investimento: R$ 27 mil à vista ou R$ 29,7 mil em 18 parcelas de R$ 1.650

Telefones: São Paulo (11) 5081-8225; Rio (21) 2216-2002; Porto Alegre (51) 3218-1300

Site: www.espm.br/posjornalismo

E-mail: candidato@espm.br

 

Pós-graduações para jornalistas do Instituto Internacional de Ciências Sociais (IICS)

 

Endereço: Rua Maestro Cardim, 370 - Bela Vista

Telefone: (11) 2104-0131

Site: www.masteremjornalismo.org

 

--> Master em Gestão Estratégica de Empresas de Comunicação

 

- Inscrições até 17 de dezembro de 2010. Para se inscrever, basta enviar o currículo e ficha de inscrição (disponível no site) para o e-mail mariahelena@iics.org.br

- Início das aulas: 21/3/2011

- Duração: cinco módulos de uma semana cada

- Carga horária: as aulas são em período integral, das 8h30 às 18h30

- Investimento: Individual (R$ 20 mil à vista ou em 5 parcelas de R$ 4,2 mil); Para empresas que enviarem mais de um participante, o desconto será de 10% (R$ 18 mil à vista ou em 5 parcelas de R$ 3.780); Para empresas que enviarem três ou mais participantes, o desconto será de 15% - opção também válida para antigos alunos - (R$ 17 mil à vista ou em 5 parcelas de R$ 3.570)

 

--> Master em Jornalismo Digital (duas turmas em 2011 - checar no site do Master)

 

- Inscrições até 18 de fevereiro de 2011. Para se inscrever, basta enviar currículo e ficha de inscrição (disponível no site) para o e-mail anderson@iics.org

- Início das aulas: 28/2/2011

- Duração: quatro módulos de uma semana cada

- Carga horária: as aulas são em período integral, das 8h30 às 18h30

- Investimento: Individual (R$ 15 mil à vista ou em 4 parcelas de R$ R$ 3.937,50); Para empresas que enviarem mais de um participante, o desconto será de 10% (R$ 13.500 à vista ou em 4 parcelas de R$ 3.543,75); Para empresas que enviarem três ou mais participantes, o desconto será de 15% (R$ 12.750 à vista ou em 4 parcelas de R$ 3.346,87)

 

--> Master em Jornalismo Econômico

 

- Será no fim do ano, em data prevista

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.