Número de pretos e pardos jovens com ensino superior aumenta no País

Dados foram divulgados pelo MEC, no Censo da Educação Superior 2011

Rafael Moraes Moura, de O Estado de S. Paulo,

16 Outubro 2012 | 17h16

Dados do Censo da Educação Superior 2011, divulgado na tarde desta terça-feira, 16, pelo Ministério da Educação (MEC), apontam aumento no número de pretos e pardos jovens com ensino superior no País. Em 2011, 8,8% dos jovens autodeclarados pretos de 18 a 24 anos frequentavam ou já haviam concluído o ensino superior. Em 2004, a proporção era de 5%; e em 1997, de apenas 1,8%.

Quando se analisam os números de jovens autodeclarados pardos, também se observa uma melhora - em 2011, 11% dos jovens pardos de 18 a 24 anos frequentavam ou já haviam concluído o ensino superior, ante 5,6% em 2004 e 2,2% em 1997. Os números foram  divulgados pelo governo um dia após a publicação de portaria que trata da Lei das Cotas nas universidades, que já entra em vigor para o próximo vestibular.

"Isso (esse aumento) foi muito importante, mas eles (pretos e pardos) continuam muito abaixo do peso que têm na população. Muitas universidades públicas já tinham cotas. A nossa meta, agora, é que a participação de negros no nível superior seja a mesma  do Censo do IBGE", disse o ministro da Educação, Aloizio Mercadante.

Entre 2010 e 2011, a matrícula no ensino superior cresceu 7,9% na rede pública e 4,8% na rede privada. Nesse período, a matrícula cresceu 6,4% nos cursos de bacharelado, 0,1% nos cursos de licenciatura e 11,4% nos cursos tecnológicos. Os cursos de bacharelado representam 66,9% das matrículas. Já os de licenciatura são 20,2%; os tecnológicos, 12,9%.

Mais conteúdo sobre:
pardos pretos censo

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.