Novo ministro de Lula quer mudar sistema de vestibular

O futuro ministro da Educação, Cristovam Buarque, disse que vai conversar com os governadores sobre a adoção nos Estados do Programa de Avaliação Seriada (PAS). Pelo método de avaliação em vigor há sete anos no Distrito Federal, os estudantes com os melhores desempenhos nos três anos do ensino médio têm vaga assegurada na Universidade de Brasília (UnB). A UnB faz as avaliações anualmente.Cristovam disse que, além da boa vontade dos governadores, a inovação dependerá de recursos ? os custos ficariam em torno de R$ 81 milhões, o que equivale a três vezes o valor do dinheiro aplicado no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). De acordo com a secretária-executiva do ministério, Maria Helena de Castro, o Enem custa hoje R$ 27 milhões. Cristovam disse que dará continuidade às provas do Enem e, a princípio, não pretende acabar com nenhum dos programas desenvolvidos pelo ministro da Educação, Paulo Renato Souza. Ele e Cristovam se encontraram ontem pela manhã. Em entrevista, Paulo Renato disse que o presidente eleito, Luiz Inácio Lula da Silva, escolheu o melhor nome para substituí-lo. Ele lembrou que ambos têm trajetórias semelhantes. ?Somos economistas, trabalhamos no exterior, no Banco Interamericano do Desenvolvimento (BID), em épocas diferentes, e fomos reitores de duas das melhores universidades brasileiras?. Paulo Renato entregou a Cristovam o Livro da Transição, documento que contém, segundo o atual ministro, as informações necessárias para Cristovam comandar a pasta.

Agencia Estado,

23 de dezembro de 2002 | 21h02

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.