Novo campus da Unifesp deve ser a ´Federal do ABC´

O Ministério da Educação decidiu instalar um novo campus da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp) em vez de criar a Universidade Federal do ABC. As 20 mil vagas no ensino superior para a região foram prometidas, em maio, pelo governo federal e divulgadas pelo Estado."É uma maneira de aproveitar a qualidade da Unifesp e ampliar a instituição", diz o secretário do Ensino Superior do MEC, Nelson Maculan. O primeiro vestibular deve ocorrer em meados de 2005.A confirmarApesar de a instituição já anunciar o novo campus no ABC e de a proposta ter sido feita pelo próprio MEC, o secretário afirma que a mudança de planos ainda não é oficial."Preciso conversar com o ministro e com alguns deputados da região, não podemos criar um problema político", explica. "O que importa é que, concretamente, vamos ganhar uma universidade e as 20 mil vagas", diz o deputado federal pelo PT Vicente Paulo da Silva, um dos autores de um projeto de criação de uma instituição de ensino superior federal na região.Três áreasA idéia do governo é criar no ABC um número ainda não definido de cursos nas áreas de educação, ciências sociais e tecnologia. Hoje, a Unifesp - ou antiga Escola Paulista de Medicina - tem seu ensino ligado apenas à área de saúde.Além do que já existe na capital, a instituição abriu este ano um campus em Santos, com os chamados cursos seqüenciais.Os cinco cursos de graduação devem começar em 2005. Com os novos campi, o número de alunos da Unifesp, que hoje é de cerca de 1.300, aumentaria 20 vezes. A ampliação tiraria São Paulo da lista dos Estados com o menor número de estudantes em universidades federais.CotasSegundo o pró-reitor de Graduação da Unifesp, Edmund Chada Baracat, parte das vagas poderá ser oferecida por meio do sistema de cotas. A iniciativa já faz parte este ano do vestibular da instituição."A tendência é que os cursos sejam feitos parte presencialmente, parte usando recursos tecnológicos como a internet."LocalAs 20 mil vagas serão criadas ao longo de quatro anos e ainda não se sabe quantas estarão disponíveis no ano que vem. Também não está definido o local onde o novo campus será instalado, mas há pelo menos uma oferta da prefeitura de Santo André, de um terreno de 70 mil metros quadrados.Quando a nova universidade foi anunciada pelo governo no início do ano, o MEC pretendia investir inicialmente R$ 20 milhões no projeto. As verbas para o custeio seriam de R$ 150 milhões. A Unifesp ainda espera definição do ministério sobre o valor que receberá para o campus ABC.ProgramaDirecionado ao berço do PT, este é primeiro grande projeto de Luiz Inácio Lula da Silva para a ampliação do ensino superior público, prevista no programa de governo. A região tem cerca de 2,5 milhões de habitantes em sete cidades: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Ribeirão Pires, Mauá e Rio Grande da Serra.Apenas dois prefeitos eleitos são do PT. Há cerca de dez faculdades particulares no ABC e quatro instituições de ensino superior municipais, mas não gratuitas. Uma universidade pública é reivindicação antiga de políticos e sociedade da área.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.