Novo cadastro do MEC vai corrigir censo escolar

O Ministério da Educação calcula que os dados finais do Cadastro dos Estudantes da Educação Básica vão mostrar números entre 5% e 10% menores do que o último censo escolar, realizado no início deste ano. Os números finais só serão conhecidos no final do ano, quando todo o cadastro estiver pronto. O ministério terá que apelar para auditorias na verificação dos dados finais.Estados e municípios que inflaram os números terão que responder pelos dados errados - inclusive pelos recursos que receberão a mais do Fundo de Desenvolvimento do Ensino Fundamental. O Fundef baseia a distribuição dos seus recursos no número de alunos matriculados no ensino fundamental. Mais alunos, mais recursos. O próprio cadastro é um processo de seleção das informações. Até agora, a diferença entre o último censo e o cadastro é de 13 milhões de alunos. No censo, Estados e municípios têm apenas que passar números de alunos matriculados em cada tipo de ensino. No cadastro, precisam incluir nome, nome dos pais, escola em que estudam, série. O cruzamento de dados impede, por exemplo, que uma mesma criança apareça matriculada duas vezes.Até agora, 85,6% das escolas públicas e privadas do País informaram os dados dos seus alunos. As escolas particulares são as que estão mais atrasadas no preenchimento do cadastro. De acordo com as contas do MEC, ainda faltam os dados de cerca de 3 milhões de alunos das particulares, um pouco menos da metade.

Agencia Estado,

05 de abril de 2006 | 19h34

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.