FGV
FGV

Novidade no ensino superior, Gestão Pública ganha salas de aula

Cursos atendem aos servidores que já trabalham no setor, quem atua em empresas e faz a ligação com o público, e também os concurseiros

Ocimara Balmant, Especial para o Estado

29 de janeiro de 2019 | 06h00

Todos os dias, mais de 2 mil pessoas trabalham direta ou indiretamente sob a batuta de Cassia Travensolo, supervisora de assistência social da Prefeitura Regional da Sé. Ela assumiu o cargo em 2018, assim que finalizou o MBA em Gestão Pública. Após 20 anos de atuação na Secretaria Municipal de Assistência Social de São Paulo, a formação era o que faltava para ela chegar a um posto-chave na pasta responsável por políticas importantes, como as relacionadas ao trabalho com refugiados e outras populações em situação de vulnerabilidade social. 

“Meu cargo passa por uma avaliação técnica, tem de ter uma trajetória mínima e conhecimentos adequados de política pública, até para fazer a gestão das pessoas”, conta Cassia. Na turma em que fez o MBA, na Universidade Paulista (Unip), havia tanto profissionais como ela, já atuantes no serviço público, como gente que trabalha na iniciativa privada ou no terceiro setor em postos que exigem interlocução com o poder público. Até aspirantes a concursos públicos já veem na formação um jeito de chegar com o currículo mais turbinado.

É o mesmo perfil do público de cursos de pós ou MBA em Políticas Públicas oferecidos por instituições como o Ibmec, a Fundação Getulio Vargas (FGV) e o Insper, entre outras. Todos os programas são recentes, ofertados há menos de quatro anos, e surgiram como resposta à conjuntura político-econômica do País. Por um lado, escândalos de corrupção fomentaram a cobrança por uma gestão mais profissional e ética dos serviços públicos e, por outro, cresceram os projetos geridos por institutos e fundações empresariais, o que fez com que as empresas também tivessem de aprender sobre o funcionamento estatal. 

Para formar profissionais aptos a atuar nesse cenário, os cursos investem em um corpo docente muito específico. Ao lado de doutores em Administração Pública, figura gente que lida no dia a dia com as especificidades do segmento. Entre os professores de Cassia, por exemplo, havia representantes do departamento de orçamentos de uma prefeitura da região do ABC. 

“Eles são convidados para relatar procedimentos e trazer depoimentos que sirvam de estudos de caso para a turma. Isso é tão importante quanto a parte teórica”, afirma Jesuino Júnior, diretor de Pós-Graduação da Unip. A experiência dos alunos também dá o rumo de algumas aulas. Na sala de Cassia, eram frequentes as discussões nascidas do cotidiano dos alunos. 

“É gente que chega muito disposta a aprender, na contramão daquela visão popular e disseminada de que o funcionário público é acomodado. Pelo contrário, quem se matricula anseia por mudanças”, diz Edson Mota, coordenador do curso. “Até por isso, além do conteúdo técnico, a gente oferece um processo de coaching coletivo, para instruir o aluno a como se comportar nesses momentos, de forma que o objetivo não seja frustrado.” 

Mesmo porque, dizem analistas, a tendência é de aumento da profissionalização, com a exigência cada vez maior de que os servidores – incluindo os comissionados – tenham de apresentar credencial que ateste domínio técnico. 

“Boa parte do déficit de orçamento público se dá por deficiência de gestão na máquina pública. O objetivo, portanto, é garantir que esse tipo de coisa deixe de acontecer”, diz Magnus Henry Marques, coordenador de pós-graduação do EAD Laureate, que oferece MBA em Gestão Pública. “O egresso precisa aprender que o combate à corrupção se dá com o fortalecimento de mecanismos de controle, que a gestão pública deve deixar às claras as tomadas de decisão, precisa entender a importância dos portais de transparência e estar convicto dos mecanismos de participação popular. Isso tudo se aprende.”

Linha direta

No Insper, além de todo conteúdo técnico, o aluno da pós em Gestão Pública ainda dedica nove meses ao chamado Projeto Aplicado em Campo, período em que mantém contato direto com instituições públicas para analisar o funcionamento, fazer diagnósticos e propor melhorias. 

“Fizemos parceria com a Prefeitura e com secretarias do Estado. Também temos um trabalho com o Ministério Público”, diz o coordenador do curso, Marcelo Marchesini. “Nossa grande tarefa é apontar ações inovadoras para enfrentar os complexos problemas públicos. E como propomos isso? Apoiados em arranjos de governança, termo que a literatura da área adota para se referir a formas eficientes e negociadas com parceiros privados e agências governamentais para complementar a prestação de serviços.” 

Se um bom arranjo de governança implica também parceria com empresas e instituições como fundações e ONGs, não basta qualificar só o agente público. Por isso, o cardápio de conteúdo das pós e MBAs no tema também buscam atender quem está do outro lado do balcão, na interlocução com o governo. 

“Temos a preocupação de que uma parcela de horas seja para entender o mercado de relações institucionais, com foco principalmente nas parcerias público-privadas”, diz Ricardo Caichiolo, coordenador do MBA Gestão e Políticas Públicas oferecido pelo Ibmec, em Brasília. Também na capital, a FGV oferece o MBA Executivo em Economia e Gestão: Relações Governamentais, para falar de gestão pública sob um novo ângulo. O foco sai do servidor e visa a preparar agentes de organizações privadas para a interlocução com o Estado. 

Responsável pelos relacionamentos institucionais da Totvs, uma empresa de tecnologia, Sergio Serio Filho, de 36 anos, foi aluno da primeira turma, em 2015, e conta que uma das primeiras lições foi “tirar essa carga de preconceitos no relacionamento com o Estado”. “O governo é um stakeholder (público estratégico), sua caneta tem um peso em todos os negócios, seja como criador de políticas públicas, consumidor, ente de relacionamento internacional, taxador, legislador.”

Serviço

Ibmec

MBA Gestão e Políticas Públicas

Inscrições: Até 3/5

Valor: R$ 25.250 à vista

Unip

MBA em Gestão Pública 

Inscrições: Até 5/4

Valor: 12 x de R$ 370,31

 

FGV

MBA Executivo em Economia e Gestão: Rel. Governamentais

Inscrições: Até 15/4

Valor: A partir de R$ 39.121,66

 

Laureatte

MBA em Gestão Pública

Inscrições: A definir

Valor: A partir de 15x de 239,00

Insper

Pós em Gestão Pública

Inscrições: Encerradas

Valor: A definir

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.