Nova USP será no Parque do Tietê

O novo câmpus da Universidade de São Paulo (USP) será construído numa área do Parque Ecológico do Tietê, na zona Leste da capital, perto da Rodovia Ayrton Senna. O local deve ser anunciado no dia 18 pelo governador Geraldo Alckmin, que destinou R$ 5 milhões ao projeto no fim de 2002. A USP vai oferecer inicialmente mil vagas na nova unidade, em cursos cujas áreas ainda serão definidas. A intenção é que o câmpus comece a funcionar no segundo semestre de 2004, nos 70 anos da universidade. ?O local foi escolhido principalmente pela facilidade de acesso?, disse a presidente da comissão do projeto, Myriam Krasilchik. O local é de propriedade do Estado e será doado à USP. Segundo o arquiteto Sylvio Sawaya, que também faz parte da comissão, o terreno foi aterrado e não é área de reserva florestal do parque. Ele foi escolhido depois de quase um ano de buscas. O Diário Oficial do Estado publicou nota no dia 26 de fevereiro informando sobre o novo câmpus. Áreas perto da Avenida Jacu-Pêssego, no Parque do Carmo, em São Miguel Paulista e em São Mateus, foram cogitadas. Segundo Myriam, o novo câmpus será a USP ?na zona Leste? e não ?da zona Leste?, já que servirá a estudantes de qualquer parte. A idéia é a de que sejam criados cursos diferentes dos existentes na Cidade Universitária numa unidade, que será chamada de Escola de Ciências, Humanidades e Artes (ECHA). ?Pensamos em fazer uma consulta a alunos de ensino médio para constatar quais poderiam ser esses cursos?, diz a professora. Mesmo assim, o projeto prevê ensino nas áreas de Arquitetura Paisagística, Arquitetura de Interiores, Arqueologia, Ciências Ambientais, Turismo, Marketing, Promoção Cultural, Serviço Social, Psicologia, Políticas Públicas, Cooperativismo, Ciências Atuariais, Música, Esporte e Moda. A formação de professores também é uma grande aposta. Os cursos escolhidos serão submetidos a aprovação do Conselho Universitário, órgão máximo da USP. Segundo Sawaya, o primeiro prédio, de 40 mil m², deve estar pronto em 2004. Em três anos, a previsão é que haja 400 mil m² de área construída, metade do que tem hoje a Cidade Universitária. O novo câmpus, com área de 1 milhão de m², deve receber um complexo esportivo, com quadras e piscinas. A estrutura poderia ser aproveitada pela comunidade local. A região leste tem hoje 4 milhões de habitantes e mais de dez faculdades ou universidades particulares. A única instituição de ensino superior pública é a Faculdade de Tecnologia (Fatec), recentemente inaugurada.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.