Nova data do Enem sai na quarta, diz Fernando Haddad

Anúncio seria nesta segunda, mas foi adiado pelo MEC; exame deve ser realizado no fim de novembro

Solange Spigliatti, da Central de Notícias,

04 Outubro 2009 | 17h41

A nova data do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) deve ser divulgada na próxima quarta-feira, 7, depois de quatro reuniões a serem realizadas na segunda e terça-feira, segundo informou o ministro da Educação, Fernando Haddad, neste domingo, 4.

 

"Na quarta-feira já poderemos fechar o diagnóstico e apresentar os novos processos para realização do Enem. Divulgaremos os procedimentos de segurança, parceiros envolvidos e a data do novo Exame", afirmou o ministro Fernando Haddad. No sábado, o MEC havia anunciado que a nova data de realização do exame seria divulgada na segunda-feira, 5.

 

A reunião entre os diretores do consórcio Connasel, a diretoria do Inep e representantes do Ministério da Educação, que se iniciou na manhã de sexta-feira, 2, foi suspensa na madrugada deste sábado, 3, com a definição de uma planilha de informações que deverá ser apresentada pelo consórcio.

 

Os diretores do consórcio solicitaram o recesso pela necessidade de tempo para apresentar as respostas. A retomada do encontro está prevista para a manhã desta segunda-feira, 5.

 

Às 15h30, o ministro Fernando Haddad vai se reunir com o Comitê de Governança do Enem 2009, que traz, dentre outros, alguns reitores de Universidades Federais e Institutos Federais de Educação Profissional e Tecnológica, e secretários estaduais e municipais de Educação.

 

Na terça-feira, 6, o ministro reúne-se com a Associação Nacional dos Dirigentes das Instituições Federais de Ensino Superior (Andifes), que traz os reitores das 55 universidades federais de todo o país. Depois, encontra-se com o ministro da Justiça, Tarso Genro, para discutir o inquérito que levará aos responsáveis pelo vazamento da prova e também para apresentar um mapeamento dos processos tomados para a prova adiada e pedir a colaboração do serviço de inteligência da Polícia Federal para o novo Exame.

 

Denúncia

 

O exame foi cancelado pelo ministro Fernando Haddad (Educação) na madrugada de quinta-feira, após o Estado ter alertado o MEC de que a prova havia vazado. Dois homens entraram em contato com a reportagem pedindo R$ 500 mil para vender as provas. Por razões éticas, o Estado de S. Paulo não compra informações.

 

A nova prova do Enem, informou o diretor do Inep, Reynaldo Fernandes, já está pronta – uma prova de reserva também está montada e guardada em um cofre do instituto, em Brasília.

 

O ministério está correndo contra o tempo, mas, mesmo assim, os técnicos avaliam que devem aplicar o teste só na segunda quinzena de novembro porque precisam refazer toda a logística de impressão, embalagem e distribuição e também corrigir as falhas de segurança detectadas na estratégia do exame marcado para este fim de semana.

 

O MEC diz que trabalha com três opções para a nova prova: entregar ao mesmo consórcio (Connase) a logística da nova prova; assumir com auxílio dos Correios e das Forças Armadas o esquema de distribuição do novo Enem; ou contratar, de maneira emergencial, uma nova empresa para imprimir, distribuir e aplicar o teste. O Consórcio Nacional de Avaliação e Seleção (Connase), formado por três empresas (Consultec, FunRio e Cetro) foi o vencedor da licitação para aplicar a prova cancelada.

Mais conteúdo sobre:
Enem MEC educação pontoedu

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.