Notas de corte da Fuvest revelam desempenho melhor

As notas de corte da Fuvest subiram neste vestibular em relação ao ano passado. A nota é a pontuação mínima necessária para o candidato passar para a segunda fase do exame e é elaborada a partir da pontuação de todos os inscritos em cada curso.Notas de corte maiores, portanto, significam melhor desempenho geral na prova. Medicina continuou na primeira colocação, com 75 pontos em um total de 100, seguida pelo curso de Relações Internacionais, criado há apenas dois anos.Passarão para a próxima etapa da Fuvest 27.717 estudantes, em um total de cerca de 160 mil inscritos. As notas indicam quem será convocado, mas a lista mesmo sai no dia 13. Os exames serão entre os dias 5 e 9 de janeiro.Depois de enfrentarem concorrência de mais de 100 candidatos por vaga na primeira fase, a competição agora será com, no máximo, três vestibulandos. As notas foram divulgadas para a imprensa ensta sexta-feira, mas com embargo até zero hora deste sábado."Estou ansiosa, mas espero que sejam mais baixas que no ano passado por causa do cansaço das cinco horas de prova", disse nesta sexta a aluna do Curso Anglo e candidata a uma vaga no curso de Medicina Fernanda Misumi, de 20 anos. Ela teve 76 pontos e passou por um ponto para a segunda fase. Cada ponto equivale a um acerto no exame.A expectativa de Fernanda não se concretizou. E, para o diretor do Curso Etapa, Carlos Eduardo Bindi, a mudança na prova da Fuvest acabou elevando as notas de corte. O número de questões foi reduzido de 160 para 100. "Isso faz com que as perguntas sejam mais básicas e o exame fique um pouco mais fácil."Bindi ainda acrescenta que a nova fórmula de convocação para segunda fase fez com menos candidatos fossem chamados, o que também aumenta as notas de corte. Como a forma do vestibular da Fuvest mudou, a comparação entre as notas deste ano e do ano passado foi feita a partir de um cálculo proporcional.A nota que mais cresceu foi a do curso de Oficial Feminino da Polícia Militar, com variação de 10%. A carreira já havia ficado em segundo lugar na relação candidato-vaga. As notas de corte dos treineiros, estudantes do 2º ano do ensino médio que fazem a prova apenas para testar conhecimentos, também aumentou bastante. Em Medicina, o acréscimo foi de menos de um ponto.Para a coordenadora do curso Objetivo, Vera Lúcia Antunes, as notas de corte subiram porque os jovens estão estudando mais. "Atualmente, eu entro na sala de aula e estão todos com jornal na mão, isso nunca aconteceu", diz. "Alunos mais bem preparados levam a nota de corte para cima", confirma o diretor da Fuvest, Roberto Costa.Entre as maiores notas da lista deste ano há uma maioria de cursos da área de humanas, como Jornalismo, Áudio Visual, Direito e Publicidade. Engenharia Aeronáutica teve a maior nota da área de exatas: 65. Os cursos recém-criados pela Universidade de São Paulo (USP) não tiveram bom desempenho. Informática Biomédica ficou com nota de corte de 45; Química Ambienta, 41; e Ciência da Informação e da Documentação, 31. Nenhuma nota de corte pode ser inferior a 25 pontos, que equivalem a 25% de acertos na prova.A Pontifícia Universidade Católica (PUC-SP) realiza neste domingo a segunda prova do seu vestibular, às 14 horas. Neste sábado e no domingo, às 13h30, serão realizados também os exames das Faculdades de Tecnologia (Fatecs), que tiveram mais de 28 mil inscritos. O vestibular do Mackenzie, que começou na quarta-feira, vai até o dia 12.

Agencia Estado,

06 de dezembro de 2002 | 23h28

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.