Divulgação
Divulgação

Nota do Enem valerá em processo seletivo da Universidade de Coimbra

Instituição portuguesa aceitará notas dos exames de 2011, 2012 e 2013; exame brasileiro deve ser nos dias 8 e 9 de novembro

Victor Vieira, O Estado de S. Paulo

24 de abril de 2014 | 14h10

Atualizada às 21h25

SÃO PAULO - A Universidade de Coimbra, em Portugal, será a primeira instituição estrangeira a usar a nota do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) como critério de acesso ao ensino superior a partir de 2014. A medida só valerá para candidatos brasileiros. O Enem já é usado como parte do processo seletivo de todas as universidades federais do Brasil desde o ano passado.

Os brasileiros que usarem a prova estarão dispensados dos exames nacionais portugueses, que funcionavam como sistema de acesso até agora. A partir deste ano, a instituição aceitará os resultados do Enem de 2011, 2012 e 2013. Em Coimbra são oferecidas graduações como Administração, Arquitetura, Direito, Engenharia Civil, Odontologia e Psicologia.

As notas do exame terão pesos diferentes de acordo com o curso pretendido, o que pode ser calculado por uma tabela de conversão de notas. O desempenho na prova de Matemática do Enem, por exemplo, é mais importante para os interessados em Engenharia do que para candidatos a Direito. A mensalidade na instituição é de 700, cerca de R$ 2.150.

Segundo o vice-reitor da Universidade de Coimbra, Joaquim Ramos de Carvalho, o Enem tem padrão elevado de qualidade e a medida promete facilitar o intercâmbio de estudantes brasileiros. "O Enem já é o exame de acesso de várias boas universidades brasileiras e avaliamos que também serviria de qualificação para nossos candidatos", afirmou Carvalho.

"Não faz sentido obrigar os estudantes brasileiros que já fizeram o Enem a passar por outro processo seletivo difícil", disse o vice-reitor. Atualmente, 2.059 alunos do Brasil estudam na instituição de Coimbra.

No mês passado, o governo português publicou uma lei que permite às universidades do País criarem seus próprios sistemas de ingresso à graduação, alternativa que não existia antes. A medida pode dar espaço para que outras instituições portuguesas copiem a iniciativa da Universidade de Coimbra.

De acordo com o Ministério da Educação brasileiro, ainda não há outras universidades estrangeiras que usam o Enem como parte do processo seletivo. A pasta ainda não confirma a data, mas estuda aplicar o exame nos dias 8 e 9 de novembro. A última edição da prova teve recorde de inscritos: 7,1 milhões de candidatos.

Consolidação. Para o especialista em avaliação educacional da Universidade Federal da Bahia (UFBA), Cipriano Luckesi, a iniciativa da escola portuguesa representa mais um voto de confiança no Enem. "Isso reconhece a importância do exame", disse. Segundo ele, o uso do Enem para entrar em Coimbra também pode estreitar as relações acadêmicas. "Já temos bastante mobilidade de professores e alunos. Precisamos fortalecer a equivalência de títulos (diplomas)", afirmou.

A proposta ainda confirma, para especialistas, o interesse de universidades europeias, afetadas pela crise econômica, em atrair mais brasileiros. Esse processo já foi intensificado nos últimos anos com o Ciência sem Fronteiras, programa de intercâmbio do governo federal que pretende levar 101 mil estudantes e pesquisadores brasileiros ao exterior até 2015. Portugal, porém, não está mais entre os países de destino do programa.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.