Nota de redação incluiria quatro escolas na lista do Enem

Ranking das melhores escolas da capital paulista muda segundo o critério usado

Renata Cafardo, de O Estado de S. Paulo,

04 de abril de 2008 | 22h14

Apenas quatro escolas de ensino médio que não faziam parte da lista das 20 melhores da capital de São Paulo estariam no ranking caso fosse levada em conta também a nota da redação do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). Escolas que defendem a inclusão da redação para formular o ranking das melhores criticaram o uso apenas das médias da prova objetiva, como tabela publicada nesta sexta-feira, 4, pelo Estado.  Confira o ranking do Enem com a nota da redação  Confira o ranking das escolas de São Paulo no Enem As melhores escolas públicas e privadas do País  Em seu material oficial, o Ministério da Educação divulga as duas notas: a da prova objetiva e a que inclui objetiva e redação. "Não tem um critério certo ou errado. Mas acho defensável e bem razoável que sejam consideradas apenas as notas da prova objetiva, já que o exame engloba todas as disciplinas do ensino médio", diz o presidente do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais (Inep), Reynaldo Fernandes. Ele explica que o MEC divulga a nota total (objetiva e redação) porque essa é a média usada como seleção no Programa Universidade para Todos (ProUni).  A maioria dos vestibulares do País, no entanto, como o da Fuvest, não usa a nota da redação do Enem. A média na prova objetiva do MEC atualmente é considerada em centenas de vestibulares brasileiros. "Por causa disso, há escolas que orientam seus alunos a não darem muita importância para a redação", diz Fernandes. Entre os alunos que participaram do Enem em 2007 no País, 2,7 milhões fizeram a prova objetiva e cerca de 100 mil deles deixaram de fazer a redação. Em São Paulo, 23 mil entregaram a redação em branco. O coordenador do Colégio Jardim São Paulo, Paulo Meinberg Junior, diz que isso nunca ocorreu na escola em que trabalha. "Valorizamos a redação não só no Enem, ela é importante para uma futura carreira, para a vida. É lamentável ela não ser considerada na nota da escola", afirma. No ranking que leva em consideração apenas a prova objetiva o colégio não aparece e também não chega a figurar entre os 50 melhores da capital. Já considerando o ranking com a redação, o Jardim São Paulo estaria em 49º. A mudança mais drástica no ranking da capital seria do Colégio Espírito Santo, no Tatuapé, que estava na 46ª colocação e subiria para a 19ª. Os colégios Porto Seguro, Arquidiocesano e Ítaca passariam a integrar os 20 melhores se fosse considerada a redação. Entre os três primeiros colocados, a diferença ficaria por conta do Colégio Bandeirantes que estaria na 2ª posição em vez da 3ª, como apareceu na lista da prova objetiva.  O Enem tem 63 questões, mas as notas são divulgadas numa escala de 0 a 100. Quando incluem a redação, as médias dos colégios são quase sempre mais baixas. O Colégio Vértice, primeiro colocado nas duas listas, por exemplo, teve nota 88,11 na prova objetiva e 81,67, se considerada também a redação.

Tudo o que sabemos sobre:
Enem

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.