No Facebook, estudantes prometem tomar as praças contra o Enem

Protestos já têm data e hora marcada em pelo menos oito cidades

Cedê Silva, Especial para o Estadão.edu

27 Outubro 2011 | 19h06

A partir do Facebook, estudantes de todo o Brasil prometem tomar ruas e praças em protestos contra o Enem, enquanto alunos do Colégio Christus querem se manifestar contra a decisão do MEC. Em Porto Alegre, o protesto contra o "Vexame Nacional do Ensino Médio" está marcado para o dia 13 de novembro (domingo), às 10h, no Monumento do Expedicionário. No mesmo horário, outra página marca um protesto na Praia de Copacabana, no Rio. Uma hora mais cedo, está agendado um protesto na vizinha Niterói, na Av. Roberto Silveira. Em Belo Horizonte, o evento está marcado para as 8h na Praça da Liberdade. Há também protestos na mesma data previstos em Caxias do Sul (RS), Fortaleza e Recife. Uma página assinada por "Luis Neto", de Fortaleza, afirma que "o objetivo não é a anulação do Enem este ano; o objetivo é o fim do Enem [como está sendo feito] em definitivo. Queremos fazer pensar sobre e chamar a atenção para todos os problemas que vêm acontecendo e para o desrespeito para com os alunos". Uma outra página promete protestos, ainda sem horário marcado, na Avenida Paulista e em Teresina.

Em Santa Maria, interior do Rio Grande do Sul, os alunos se adiantaram. O protesto está previsto para amanhã, dia 28, às 11h, na Praça Saldanha Marinho, com o título "os caras pintadas para o fim do Enem".

Além de Porto Alegre, outros eventos também trazem o títullo "Protesto contra o Vexame Nacional do Ensino Médio". A página "Protesto contra o Vexame Nacional do Ensino Médio (Antigo "ENEM VENDIDO")" diz ter sido "criada para organizar os protestos simultâneos nas capitais do País" e já lista sete protestos.

Outro lado. Os alunos do Colégio Christus, onde algumas questões idênticas às do Enem circularam dias antes da prova, também organizaram um protesto. Intitulado "#OrgulhoChristus", foi marcado provisoriamente para o dia 10 de novembro ("data a combinar"), em frente à Secretaria de Educação do Estado do Ceará. Diz o texto: "Protesto contra a atitude do MEC em relação aos alunos do Colégio Christus. Defenderemos nosso colégio até debaixo d'água".

Esta não é a primeira vez que problemas no Enem motivam protestos. Em novembro de 2010, alunos em Belo Horizonte, Fortaleza e Rio realizaram o protesto dos "Enemganados".  Na época, cerca de 500 manifestantes fecharam a Avenida da Universidade, na capital do Ceará - mas não se posicionaram contra ou a favor da anulação do Enem.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.