Nas férias, atenção redobrada com as crianças na cozinha

Nem só rojões ou balões devem ser motivo de preocupação para os pais neste mês. Segundo especialistas, o perigo maior está nas cozinhas. Estatísticas do Programa de Atendimento ao Queimado, da Secretaria Estadual de Saúde, revelam que nos meses de janeiro e julho - períodos de férias escolares -, os casos de queimaduras domésticas entre crianças de 0 a 12 anos aumentam 50%.Segundo a coordenadora do programa, Gilka Barbosa Lima Nery, os dados foram levantados em todos os hospitais da capital paulista. Apenas 1% dos atendimentos são relacionados a acidentes com fogos de artifício.SozinhosNo Nordeste, rojão e fogueira são campeões de queimaduras, mas em São Paulo o problema está nos líquidos quentes, como café, leite ou sopa, segundo Gilka, que há 40 anos trata de queimados. A maior parte dos acidentes com crianças ocorre em famílias de baixa renda, nas quais as mães têm de deixar os filhos sozinhos para ir ao trabalho.No ano passado, crianças de 0 a 11 anos representaram 50% do atendimento no Instituto Pró-Queimados, que trabalha no apoio a vítimas de queimaduras. O diretor do Instituto, Carlos Fontana, explicou que o paciente que recebe alta do hospital pode ser tratado gratuitamente na Casa de Apoio do instituto.

Agencia Estado,

02 de julho de 2003 | 01h47

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.