'Não é censura', diz Marun sobre possibilidade de governo barrar disciplina na UnB

Matéria chamada "o golpe de 2016 e o futuro da democracia no Brasil" está sendo analisada pelo Ministério da Educação

Carla Araújo, O Estado de S.Paulo

22 Fevereiro 2018 | 21h23

O ministro da Secretaria de Governo, Carlos Marun, defendeu que o governo tente barrar a disciplina da Universidade de Brasília que tratará o impeachment de Dilma Rousseff como "golpe". Após o site Poder 360 revelar que a matéria constava na grade curricular da universidade, o ministro da Educação, Mendonça Filho, informou também ao site que deve enviar um ofício a vários órgãos de controle para que seja analisada a legalidade do curso denominado "o golpe de 2016 e o futuro da democracia no Brasil".

"Dizer que é uma das disciplinas da grade é uma atitude extremamente política e obviamente deve ser combatida, no meu modo de ver, na Justiça, para que recorram aqueles que se sentem contrariados. E no nosso caso, eu também me sinto contrariado por essa decisão da UnB", afirmou Marun, nesta quinta-feira em coletiva no Palácio do Planalto.

Ao ser questionado se a medida não poderia ser vista como uma espécie de censura do governo Michel Temer, o ministro rebateu: "Uma coisa é liberdade de expressão. Outra coisa é você colocar como verdade, em universidades públicas, uma evidente mentira", opinou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.