Não cabe à OAB definir quem pode ser advogado, diz UNE

Crítica do vice-presidente da entidade foi feita durante audiência na Câmara

Estadão.edu

12 Maio 2011 | 18h00

Durante audiência na Câmara dos Deputados para discutir o Exame da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), o vice-presidente da União Nacional dos Estudantes (UNE), Tiago Ventura disse que não cabe à OAB definir quem deve exercer a profissão de advogado. “Essa atribuição, em nossa opinião, cabe ao Ministério da Educação.”

 

Ventura questionou o alto custo das inscrições para as provas (cerca de R$ 200) e criticou a baixa qualidade do ensino jurídico oferecido por algumas instituições, principalmente privadas. “Existem casos de pessoas que fazem a prova duas, três, quatro vezes até conseguirem ser aprovadas e terem direito à carteirinha, sem a qual não são consideradas advogadas.”

 

O estudante destacou que a exigência desse tipo de prova só existe para os advogados. “Em todos os outros cursos, o aluno completa a faculdade e já pode trabalhar.”

 

(Com informações da Agência Câmara)

 

Veja também

 

- Deputado propõe que MP participe de Exame da OAB

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.