HÉLVIO ROMERO/ESTADÃO
HÉLVIO ROMERO/ESTADÃO

Na véspera do Enem, dica é descansar e fazer refeição leve

Professor recomenda que candidatos não fiquem preocupados em revisar o conteúdo

Hannah Cliton, Especial para o Estado

10 Novembro 2018 | 15h44

SÃO PAULO - Mais de 4 milhões de pessoas devem realizar a segunda etapa do Enem neste domingo, 11. Ao se preparar para o segundo dia de provas, é preciso controlar a ansiedade e não se preocupar em decorar fórmulas de última hora. “Agora não é o momento de se preocupar em estudar ou revisar o conteúdo. O dia de hoje (sábado) deve ser reservado para conversar com a família, se alimentar bem e ter uma boa noite de sono”, explica Gilberto Alvarez, o Giba, diretor do Cursinho da Poli.


 

As provas de Ciências da Natureza e Matemática, que serão aplicadas amanhã, não envolvem a ‘decoreba’ de fórmulas, mas sim que o candidato entenda o enunciado e apresente uma solução para o problema proposto. De acordo com Alvarez, as questões estão ligadas a problemas do dia a dia e podem envolver temas relacionados à saúde, como a febre amarela, por exemplo, ou ligados à cidade, como poluição, sustentabilidade e meio ambiente. A expectativa é que o candidato use não apenas os conceitos ensinados na escola, mas também do seu conhecimento de mundo e da sociedade, sem deixar de lado a interpretação de texto.

Para o professor, também é importante não ficar preocupado com a média final com base na primeira etapa da prova. Mesmo o candidato que acertou poucas questões na primeira etapa deve realizar a segunda. “A prova ainda não acabou. O importante é esquecer o que passou e não desistir.”

Alimentação

De acordo com Alvarez, o candidato deve evitar consumir alimentos pesados tanto hoje quanto no dia da prova. É possível levar comidas e líquidos para o local, mas é preciso tomar cuidado com excessos e alguns alimentos que podem prejudicar a concentração. O indicado é beber bastante água, água de coco e sucos naturais, evitar alimentos muito gordurosos e com excesso de açúcar. O professor também destaca que o candidato deve evitar mudar a rotina de alimentação e de sono nesses dias.

 

Ansiedade

A ansiedade e o nervosismo são preocupações comuns aos candidatos. Segundo Alvarez, se o candidato notar o aumento da ansiedade, deve parar de responder as questões para respirar e se acalmar. Ele indica uma técnica de respiração em que o candidato deve fechar os olhos, inspirar o ar até a barriga inchar e soltar o ar lentamente com os olhos fechados, ouvindo a própria respiração. De acordo com ele, usar uma lembrança de um momento feliz como âncora também é uma forma de manter a calma e se concentrar na prova.

O que levar

É obrigatório levar para o local de prova caneta esferográfica de tinta preta fabricada em material transparente e um documento oficial de identificação original com foto. O Ministério da Educação aconselha que o candidato também leve o Cartão de Confirmação de Inscrição, disponível no site e no aplicativo Enem 2018. Itens como borracha, caneta de material não transparente, calculadora, lápis e materiais de apoio são proibidos. Equipamentos eletrônicos devem ficar desligados durante a prova. 

Questões da prova

Considerando a forma de correção da prova, a Teoria de Resposta ao Item (TRI), acertar muitas questões não garante uma média alta. A metodologia considera o grau de dificuldade das questões para avaliar a habilidade do candidato e a possibilidade de chute. “A grande dica para amanhã é garantir as questões fáceis e, para isso, recomendamos que o aluno leia a prova três vezes”, explica Alvarez.

Segundo ele, na primeira leitura o candidato deve responder as questões com gráficos, tabelas e esquemas no enunciado, já que geralmente são mais fáceis, e deixar as mais difíceis em branco. Na segunda leitura, devem ser priorizadas as questões com enunciados curtos, e só na terceira leitura as questões mais difíceis devem ser respondidas. “É preciso calcular o tempo para deixar poucas questões por último e, se precisar, deixar para chutar as questões mais difíceis.” Também é preciso ficar atento ao tempo. As 90 questões da prova devem ser respondidas em 5 horas.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.