Na reta final para a Fuvest, aulas descontraídas e música

Professores de cursinhos exploraram diversas opções para relaxar os estudantes na véspera do vestibular

Diana Dantas, de O Estado de S. Paulo,

21 Novembro 2009 | 14h46

Alunos do cursinho Objetivo, de São Paulo (SP), assistem a uma aula descontraída nesta sexta-feira.   "We are the champions." Ao som de Queen ocorreu o encerramento da aula de literatura do Cursinho Objetivo. A ideia de descontrair a turma, nesta última sexta-feira, 20, dois dias antes da primeira fase da Fuvest, partiu da professora Maria de Lourdes Cunha, que já tinha feito um exercício de relaxamento com os estudantes. Alguns chegavam a se emocionar com o apoio. "Nesses momentos finais antes da prova é sempre emocionante, eles choram e eu também", conta Maria.   Veja também: Concorrência para ingressar na USP caiu para 1/4 das carreiras  Na preparação para o vestibular, olho em biologia e geografia  Teste seus conhecimentos no Simulado Fuvest 2010   A prova da Fuvest começa às 13 horas deste domingo na capital, interior e litoral de São Paulo, Curitiba e Belo Horizonte. É preciso chegar cerca de uma hora antes aos locais de prova. São 128.144 inscritos concorrendo a 10.797 vagas. Neste ano, o exame mudou e a primeira etapa não mais vale pontos para a nota final.   No Anglo, o professor Fernando Marcílio Lopes Couto também tentava descontrair a classe com uma aula leve e engraçada. A gratidão ao carinho é logo percebida: ele recebe, no meio de uma sala lotada, um pirulito acompanhado de um bilhete: "Obrigada por ser o melhor professor de literatura que já tive."   Há 20 anos trabalhando em cursinhos, ele explica que esse entrosamento é fruto da compreensão da angústia dos alunos e do fato de compartilhar isso com eles até o fim. "O que tinha para se aprender já foi aprendido, o importante é a presença e o apoio do professor nessa última fase", diz.   Mas o clima não é só de paz e amor. Em pleno feriadão, os cursinhos funcionaram normalmente e os alunos comparecem em massa - eram mais de cem por sala.   No Etapa, que não abriu ontem, Talita Yumi, de 18 anos, conta que prefere revisar o conteúdo no fim de semana a descansar. Ela estudava na quinta à noite no cursinho, véspera de feriado. "Relaxo estudando. Vou prestar Medicina, fazer o quê?" Mesmo para quem concorre a uma vaga em outra instituição, a USP é a meta maior. É o caso de Natália Gregório, de 22 anos, que tenta pela terceira vez passar em Direito. "Até entraria em outra faculdade, mas continuaria tentando a Fuvest."

Mais conteúdo sobre:
Fuvest2010

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.