Nº de alunos na rede pública de SP cai 23%

Nº de alunos na rede pública de SP cai 23%

Entre motivos apontados para queda nas escolas públicas estão a migração para a rede privada e a correção do fluxo escolar

Luiz Fernando Toledo e Victor Vieira, O Estado de S. Paulo

10 Janeiro 2015 | 03h00

SÃO PAULO - O total de alunos do 6.º ao 9.º anos do ensino fundamental da rede pública estadual e municipal da cidade de São Paulo recuou 23,5% entre 2010 e o ano passado, segundo dados do Censo Escolar 2014, publicados nesta sexta-feira, 9, no Diário Oficial da União. Entre os motivos apontados por especialistas para a queda nas escolas públicas estão a migração para a rede privada e a correção do fluxo escolar. 

Nos anos iniciais do fundamental (1.º ao 5.º), o recuo é menor: 2,4%. Já no ensino médio, o crescimento é de 5,1%. No País, também há uma tendência de redução populacional de crianças e adolescentes em idade para cursar o fundamental. 

Esses números não consideram inscritos na educação especial e de jovens e adultos. Ainda não há resultados sobre as redes particulares. O Ministério da Educação (MEC) deve divulgar os dados consolidados do Censo ainda em janeiro. 

Ajustes. Por um lado, o recuo ajuda a executar políticas educacionais. “Em teoria, facilita o acompanhamento dos alunos e deveria melhorar a qualidade”, diz Ocimar Alavarse, da Universidade de São Paulo (USP). 

A queda no número de alunos, porém, reduz as verbas recebidas do governo federal. Os repasses do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica (Fundeb) a Estados e municípios variam segundo o total de matrículas. 

A Secretaria da Educação de São Paulo disse que a universalização do ensino permite que o Estado tenha uma rede inclusiva e atenda a toda demanda da educação básica. Disse ainda que São Paulo tem uma das menores distorções idade-série do País. A Secretaria Municipal de Educação afirmou que seria necessário mais tempo para avaliar os dados. /COLABOROU PAULO SALDAÑA

Mais conteúdo sobre:
Censo Escolar Educação São Paulo

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.