MPF pede esclarecimentos ao Inep sobre vazamento de dados de inscritos

Procurador da República dá prazo até 9 de setembro para que órgão responda; auditoria interna para averiguar responsabilidades não foi concluída

Carolina Stanisci, Especial para o Estadão.edu

30 Agosto 2010 | 15h39

O Instituto Nacional de Pesquisas e Estudos Educacionais (Inep) terá de esclarecer por que os dados pessoais de mais de 12 milhões de estudantes cadastrados nas últimas três edições do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) vazaram no site da instituição. Os dados foram publicados em um site do Inep, e a história foi relatada com exclusividade pela equipe do Estadão.edu.

 

O instituto terá de atender a uma solicitação feita por ofício pelo procurador da República no Distrito Federal Peterson de Paula Pereira. No último dia 25, Pereira encaminhou o pedido ao órgão. O Inep é subordidado ao Ministério da Educação e responsável pelo Enem. No ano passado, o exame também passou por percalços: a prova foi furtada e adiada no ano passado.

 

Se estiver satisfeito com as explicações, o Inep poderá arquivá-las. Caso queira investigar mais a fundo, pode instaurar um inquérito civil, cujo prazo é de um ano, podendo ser prorrogado.

 

Segundo a assessoria do MEC, todos os questionamentos do MPF serão respondidos. Auditoria instaurada para averiguar a responsabilidade pelo vazamento dos dados dos inscritos ainda não foi concluída.

 

 

 

Mais conteúdo sobre:
educação inep mpf

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.