Luiz Machado/Divulgação
Luiz Machado/Divulgação

Mostra interativa 'Química para um mundo melhor' fica aberta até novembro

Evento na Estação Ciência da USP quer mostrar ao público como a química faz parte do nosso cotidiano

Marcelle Souza, Estadão.edu

06 Setembro 2011 | 15h03

Com projeto interativo e experiências ao vivo, a exposição “Química para um Mundo Melhor” fica aberta até 6 de novembro no saguão principal da Estação Ciência, na Universidade de São Paulo (USP). O evento é baseado em quatro pilares - nutrição e saúde, construção e cuidados para o lar, energia e recursos, mobilidade e comunicação - e é parte das comemorações do Ano Internacional da Química no Brasil.

O objetivo é convidar o público a descobrir como a química faz parte do nosso cotidiano e de que forma ela pode ajudar a pensar um futuro mais sustentável. “Ainda existe muito preconceito, as pessoas acham que essa ciência é uma coisa ruim”, afirma o professor do Instituto de Química da USP Guilherme Marson.

Apesar de os objetos interativos, como um celular gigante com explicações sobre a sua composição química, terem destaque na exposição, são as ilhas com as experiências que atraem os visitantes. No local, alunos do curso de Química da USP mostram o comportamento florescente de vários materiais e apresentam como é feito um plástico, entre outras maravilhas da ciência para os olhos atentos do público.

Assim como desvendar de que forma a matéria está presente no nosso cotidiano, a mostra visa incentivar o interesse dos jovens por carreiras ligadas à ciência. “Há uma necessidade grande de mão de obra qualificada tanto para a educação quanto para a indústria química”, afirma Marson, responsável pela exposição.

Para acompanhar as comemorações do Ano da Química foram lançados o webjogo e o livro “Onde está a Química?” (disponível em PDF aqui).

Serviço

"Química para um Mundo Melhor"

Onde: Estação Ciência da USP (Rua Guaicurus, 1.394, Lapa, tel. (11) 3871-6750)

Horário: das 8h às 18h (sáb, dom., e fer., 9h/18h; fecha 2ª).

Ingresso: R$ 4

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.