Suamy Beydoun|Futura Press
Suamy Beydoun|Futura Press

Ministro do STF critica procuradora que quer explicações do MEC

Deborah Duprat questionou ofício enviado pelo ministério que determina que gestores de institutos federais indiquem nomes dos estudantes de ocupações

Rafael Moraes Moura, O Estado de S. Paulo

27 Outubro 2016 | 17h22

BRASÍLIA - O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Gilmar Mendes criticou nesta quinta-feira, 27, a atuação da subprocuradora-geral da República Deborah Duprat, titular da Procuradoria Federal dos Direitos do Cidadão, que decidiu pedir informações ao Ministério da Educação (MEC). A subprocuradora quer que o governo se explique sobre o ofício que determinou que gestores dos institutos federais indicassem os nomes dos estudantes que participam no movimento de ocupação nas escolas.

"Ainda ontem eu lia nos jornais que a doutora Débora está movendo uma ação porque o ministro da Educação está tomando medidas para desocupação das escolas. Ninguém tomou medida para evitar a ocupação das escolas, que está interrompendo um serviço público essencial", disse Gilmar Mendes nesta quinta-feira, durante sessão do STF. 

 

 

"Mas agora que o ministro da Educação está anotando nomes dos invasores, se diz que isso fere os direitos humanos. É um país muito estranho esse", completou o ministro.

Na semana passada, o MEC enviou ofício aos dirigentes da Rede Federal de Educação Profissional, Científica e Tecnológica determinando que eles enviem os nomes dos estudantes que ocupam unidades de ensino em todas as regiões do País, em manifestação contra a agenda de retrocessos do atual governo na área de educação. Deborah quer saber qual o motivo da identificação dos estudantes. 

Mais conteúdo sobre:
STF Ministério da Educação

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.