Divulgação
Divulgação

Ministro da Educação diz que não dará 'cheque em branco' a 'vendedores de vagas'

Renato Janine Ribeiro participa nesta quinta-feira de audiência pública na Comissão de Educação da Câmara

Daniel Carvalho , O Estado de S. Paulo

16 Julho 2015 | 16h30

BRASÍLIA - Ao defender o teto de reajuste de 6,4% no Fundo de Financiamento Estudantil (Fies), o ministro da Educação, Renato Janine Ribeiro, disse nesta quinta-feira, 16, que não dará "cheque em branco" a "vendedores de vagas", referindo-se assim às instituições privadas que desejam aumento acima deste porcentual.

"Uma coisa é o direito das instituições privadas aumentarem suas mensalidades. Outra é a disposição do ente público em pagar. O que queremos, para cumprir as relações de mercado e respeitar o contribuinte e limites orçamentários, é não dar ao vendedor de vagas um cheque em branco pelo qual ele aumenta o quanto quiser", afirmou o ministro, em audiência pública na Comissão de Educação na Câmara dos Deputados.

Janine disse que o ministério cobrou explicações às universidades que pediram reajuste acima de 6,4%. "O MEC sentiu que não era justo nem com o contribuinte nem com o aluno aceitar estes valores sem justificativa", disse.

Mais conteúdo sobre:
MEC Renato Janine Ribeiro Fies

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.