Milionário da educação vai relatar MP do ensino médio

Pedro Chaves (PSC-MS) é suplente do senador cassado Delcídio Amaral (sem partido-MS) e tem participações em um importante grupo educacional de seu Estado.

Isabela Bonfim, O Estado de S. Paulo

13 Outubro 2016 | 22h58

BRASÍLIA - A medida provisória da reforma do ensino médio será relatada no Congresso Nacional por um empresário que fez fortuna no ramo da educação. Pedro Chaves (PSC-MS) é suplente do senador cassado Delcídio Amaral (sem partido-MS) e tem participações em um importante grupo educacional de seu Estado.

O senador prefere se pronunciar como relator apenas após a instalação da comissão especial, na quarta-feira. Ele não chegou a fazer emenda à proposta. No Senado, se posicionou contrariamente ao “Escola Sem Partido”, que disse acreditar ser “utópico” e “negativo”. Também criticou cortes de orçamento para educação, ciência e tecnologia no governo Dilma, mas não fez menção à PEC do Teto.



Chaves se filiou pela primeira vez em 2010 para disputar como suplente de Delcídio. À época, declarou ter R$ 69 milhões à Justiça Eleitoral - quarto maior patrimônio do Senado. Ele começou a carreira em uma escola particular de Campo Grande em 1971. Anos depois, criou o Centro de Ensino Superior de Campo Grande (Cesup), depois Universidade para o Desenvolvimento do Estado e da Região do Pantanal (Uniderp). 

Foi reitor até outubro de 2006, quando vendeu a instituição para o grupo Anhanguera. Atualmente, é diretor-geral da Moderna Associação Campograndense de Ensino.

Segundo a líder do governo no Congresso, Rose de Freitas (PMDB-ES), a escolha de Chaves se deu tanto pela alternância entre blocos quanto pela experiência na área educacional. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.