Milionário da educação vai relatar MP do ensino médio

Pedro Chaves (PSC-MS) é suplente do senador cassado Delcídio Amaral (sem partido-MS) e tem participações em um importante grupo educacional de seu Estado.

Isabela Bonfim, O Estado de S. Paulo

13 de outubro de 2016 | 22h58

BRASÍLIA - A medida provisória da reforma do ensino médio será relatada no Congresso Nacional por um empresário que fez fortuna no ramo da educação. Pedro Chaves (PSC-MS) é suplente do senador cassado Delcídio Amaral (sem partido-MS) e tem participações em um importante grupo educacional de seu Estado.

O senador prefere se pronunciar como relator apenas após a instalação da comissão especial, na quarta-feira. Ele não chegou a fazer emenda à proposta. No Senado, se posicionou contrariamente ao “Escola Sem Partido”, que disse acreditar ser “utópico” e “negativo”. Também criticou cortes de orçamento para educação, ciência e tecnologia no governo Dilma, mas não fez menção à PEC do Teto.



Chaves se filiou pela primeira vez em 2010 para disputar como suplente de Delcídio. À época, declarou ter R$ 69 milhões à Justiça Eleitoral - quarto maior patrimônio do Senado. Ele começou a carreira em uma escola particular de Campo Grande em 1971. Anos depois, criou o Centro de Ensino Superior de Campo Grande (Cesup), depois Universidade para o Desenvolvimento do Estado e da Região do Pantanal (Uniderp). 

Foi reitor até outubro de 2006, quando vendeu a instituição para o grupo Anhanguera. Atualmente, é diretor-geral da Moderna Associação Campograndense de Ensino.

Segundo a líder do governo no Congresso, Rose de Freitas (PMDB-ES), a escolha de Chaves se deu tanto pela alternância entre blocos quanto pela experiência na área educacional. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.