Método e disciplina são a chave para o vestibular

Maio chegou e é tempo de pegar pesado nos estudos, quando se quer concorrer a uma vaga nos vestibulares de inverno. Mas não basta se afundar nas apostilas. Quem já passou por isso - e passou no exame - sabe muito bem que é importante se organizar, ter método e disciplina. Sem deixar de curtir as coisas que dão prazer.A moçada que leva a sério os estudos passa de quatro a seis horas por dia entre leituras e exercícios. Essa é a média também dos aprovados nos vestibulares. Ou seja, tem de assumir a coisa como uma jornada de trabalho mesmo."Eu conheci pessoas que conseguiam fazer tudo o que eu fazia nesse tempo em umas três horas. Mas em menos que isso é impossível", disse Bruna Binsfeld, 19 anos, aprovada na Escola de Medicina da USP.Estudar toda a matéria do dia é obrigação, incluindo a resolução de todos os exercícios das apostilas referentes às aulas. É proibido atrasar nesse ponto. "Manter a matéria em dia é essencial. Se você não consegue, tem que reorganizar todo o seu tempo, dificulta bastante", diz Ana Beatriz Basile, 17 anos, que vai prestar Psicologia no Mackenzie e USP.Dia seguinteLer a matéria do dia seguinte também pode ser uma bela ajuda. "Uma dica, que funcionou muito bem para mim, é sempre dar uma olhada na matéria do dia seguinte, assim quando o professor for dar a aula você já sabe do que se trata, não fica perdido. Assim fica mais fácil prestar atenção", diz Rafael Trapé, 22 anos, que entrou entre os primeiros no curso de Administração da FGV. "Fiquei muito adiantado. Faltei quase um mês no cursinho pois fiquei doente e quando voltei foi fácil de entrar no ritmo".Giancarlo Gomes, 20 anos, que acaba de entrar em Veterinária na USP, além de rever as matérias do dia, separava um tempo por dia para estudar apenas as matérias que da segunda fase do vestibular da USP. Uma boa idéia também é alternar entre as matérias de Biológicas, Exatas e Humanas, assim o estudo fica menos cansativo e repetitivo.Fazer resumos pequenos de todas as matérias pode ser útil para o final do semestre, quando as provas estão se aproximando e já não dá mais tempo de reler tudo o que está nas apostilas. A dica é de Priscila Fernandes, 18 anos. "Sempre faço fichamentos, resumos de todas as matérias que estudo para usá-los na época da revisão. É bom também fazê-los bem coloridos, para ajudar na memória visual, chamar a atenção para aquilo que se está lendo", diz ela, que quer prestar história na USP e jornalismo.As instituições vêm tentado incluir cada vez mais assuntos atuais nas provas do processo seletivo. Por isso é necessário estar sempre bem informado. Separar cerca de meia hora por dia para ler jornal e acompanhar os acontecimentos via internet pode ser uma boa para estar a par do que acontece no mundo, e ao mesmo tempo, ficar melhor preparado para as provas.Depois da aulaMas nem todos concordam quando a questão é onde estudar no período da tarde, depois das aulas. Alguns candidatos acham que têm mais facilidade para se concentrar no plantão do cursinho, outros preferem estudar em casa, longe dos amigos e da bagunça.Há alunos que entram em grupos de estudos para ajudar na hora das dúvidas. Ana Beatriz formou um destes com mais quatro amigos. "Ficamos todas as tardes no plantão do cursinho fazendo exercícios e tirando nossas dúvidas, entre nós, se for algo simples ou em conjunto com um professor", conta.Seja como for, antes da tarde de estudos e depois dela é fundamental descansar bem a cabeça. Alguns candidatos dizem que um cochilo de uma hora, depois do almoço, é uma boa alternativa para relaxar a mente antes de retomar os estudos."Começar a estudar logo depois do cursinho não é uma boa, pois a matéria do dia ainda está fresca na sua cabeça e fica difícil se concentrar em outra", diz Vivian Safra Carapello, 19 anos, que quer tentar Biologia em diversas universidades públicas.Dormir cedo é consenso. Os candidatos e aprovados concordam que isso é ótimo para repor as energias e se preparar para um novo dia tenso de esforço pesado.DedicaçãoA dedicação faz toda a diferença entre aqueles que passam e os que voltam para o cursinho. Mas tão importante quanto se dedicar é não abrir mão das coisas que se curte, para não deixar que os estudos atrapalhem sua vida."Acho que é importante se dedicar, mas sem deixar de fazer as coisas que você gosta. Tem que continuar vivendo a sua vida. Porque se ficar indo do cursinho pra casa e da casa pro cursinho você enlouquece", afirma Carolina Machado, 18 anos, que tenta uma vaga no curso de Direito do Mackenzie.E para aqueles que acham que é impossível, Bruna, incentiva: "Não se pode achar que é impossível. Você tem que colocar na cabeça que tem capacidade para conseguir aquilo que quer. E estudar o que acredita que seja necessário para isso".Dicas para o bom desempenho- Sempre rever as matérias dadas no dia - Fazer todos os exercícios das apostilas, e, além deles, também os de provas antigas de vestibulares - Assistir a filmes que tenham relação com aquilo que se está estudando - Ler a matéria do dia seguinte - Dormir e se alimentar bem - Fazer alguma atividade extra, como esportes ou academia - Formar grupos de estudo - Ler livros para ajudar na hora da redação - Estar sempre bem informado - Fazer resumos das matérias - Alternar entre matérias de Biológicas/Humanas/Exatas - Começar e terminar por matérias que gosta - Participar dos simulados realizados pelo cursinho

Agencia Estado,

04 de maio de 2006 | 10h31

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.